Tag Archives: Yuu Watase

Os melhores shoujo no Brasil (parte dois)

5 abr

Oi!!^^

  Hoje eu volto com a outra metade da lista que eu comecei a publicar ontem, sobre os  mangás publicados no Brasil de que eu mais gosto.

  Para quem não viu ontem, a lista está aqui. Como eu já disse, a lista está em ordem alfabética, e não de preferência. Os mangás citados não são necessariamente shoujo, o título do post só é esse porque eu não quero comentários do tipo “como Naruto não está entre os melhores mangás publicados no Brasil?” e coisas do gênero.

  Vamos então à  Parte Dois da minha lista!

 

MeruPuri

 

   O primeiro mangá que eu li! Um mahou-shoujo muito fofo!! Conta a história de uma menina que não sabe ser descendente de uma feiticeira, e que de repente encontra um príncipe de um reino mágico de outra dimensão.

  O mangá (da incrível Hino Matsuri) tem apenas 4 edições, e foi publicado pela Panini. Eu falei mais sobre MeruPuri aqui.

Nana

  Quem não gosta de Nana? O shoujo de maior sucesso no mundo, conta os dramas de duas amigas que compartilham o mesmo nome: Nana.

  Nana (da maravilhosa Yazawa Ai) é publicado no Brasil pela JBC (até agora, com 21 volumes), e sua publicação está em pausa pois a publicação original japonesa também está em pausa, por conta de problemas de saúde enfrentados pela autora.

Otomen

  Otomen é uma comédia (com um humor sarrista parecido com o de OURAN) que narra os dramas de Asuka (que não é gay) em esconder os seus hobbyes femininos.

  O mangá de Kanno Aya é publicado pela Panini e tem, atualmente, 7 edições. Eu já falei um pouquinho de Otomen aqui.

Paradise Kiss

  Minha paixão. O melhor (e primeiro) Josei publicado no país. Conta a história de Yukari, e o seu dilema em escolher entre uma carreira acadêmica sólida e uma carreira de modelo.

  Os 5 volumes do mangá ( de Yazawa Ai) foram publicados em edições metálicas lindas pela editora Conrad mas, infelizmente, não são fáceis de se encontrar… Eu falei bastante de Paradise Kiss no blog, aqui, aqui e aqui.

Sakura Card Captors

  O primeiro mangá shoujo publicado no país (e um dos melhores mahou-shoujo ever!). Conta a história da pequena e fofa Sakura, que tem a missão de coletar as cartas Clow que ela deixou escapar sem querer.

  O mangá (da CLAMP) foi publicado pela JBC no formato de meio tankobon, e conta com 24 edições (algumas bem chatas de se encontrar).

Socrates in Love

  Um one-shot josei lindo, que conta a dramática história de um casal que descobrem juntos as emoções do amor, e tem que superar uma tragédia.

  Tem autoria de Kazumi Kazui, baseado no best-seller de Kyoichi Katayama. Foi publicado em uma edição linda pela JBC, e eu já falei mais sobre ele aqui.

Tsubasa Reservoir Chronicles

  Mangá shounen de aventura, que utiliza personagens de Sakura Card Captors e possui uma história entrelaçada com XXXHolic (ficou confuso? Coisas de CLAMP…). Mas pode confiar, é super legal!

   É publicado no formato meio tankobon pela JBC, tem atualmente 51 volumes e vai terminar em 56 volumes (o original possui 28 volumes).

Ultramaniac

  Mahou-shoujo bonitinho que conta a história de de uma humana que fica amiga de uma bruxinha.

  Teve seus 5 volumes publicados pela Panini. De autoria de Wataru Yoshizumi.

Vampire Knight

  Quem é leitor do blog sabe, eu AMO Vampire Knight. É um shoujo de drama e romance, com temática sobrenatural. Conta a história de Yuuki, que apesar de conviver com vampiros diariamente em sua escola, descobre que os seus laços com eles são ainda mais intensos do que ela imaginava…

  O mangá (de Hino Matsuri) é publicado atualmente pela Panini e conta, por enquanto, com 12 volumes. A publicação ainda está em andamento no Japão (Hino sensei, não enrrola!!). Eu já falei de Vampire Knight no blog milhares de vezes… quem quiser ler mais, visite a categoria VK Project.

Wanted

   One-shot shoujo de aventura. Conta a história de uma menina que passa a viver uma vida de pirata! (Esse mangá é muuuito legal! A Hino sensei deveria fazer uma série!).

  Foi publicado pela Panini, e pode ser meio complicado se se encontrar… De autoria de Hino Matsuri.

Welcome to the N.H.K

  (Ou Bem-vindo à N.H.K) Mangá shounen ecchi, de comédia sem noção, que conta a história de um Hikikomori que se considera vítima de uma corporação malígna encabeçada pela rede de televisão N.H.K (?).

  Mangá com 8 volumes de Tatsuhiko Takimoto, que começou a ser publicado pela Panini e tem, por enquanto, 2 volumes lançados  (Recomendado para maiores de 18 anos. Sério!).

XXX Holic

  Mangá seinen lindo maravilhoso incrível de temática sobrenatural. Conta a história de Watanuki, que é capaz de ver espíritos, e acaba envolvido com Yuuko, dona de uma loja que realiza desejos pouco convencionais (geralmente relacionados a espíritos e coisas do gênero). Eu já falei sobre Holic aqui.

  O mangá (da CLAMP) se encerrou no Japão com 19 volumes, e é publicado no Brasil pela JBC no formato de meio tankobon, e está atualmente no volume 34.

Zettai Kareshi

  Zettai Kareshi – o namorado perfeito. Um shoujo maravilhoso que eu amo, de comédia romântica com um “q” de ficção científica. Conta o divertido romance entre uma menina e um andróide (que ela comprou para ser o seu namorado ideal).

  Teve seus 6 volumes publicados no Brasil pela Conrad, mas suas edições são quase impossíveis de se encontrar. De autoria de Yuu Watase. Eu fiz resenha de Zettai Kareshi aqui.

  Em resumo, é possível encontrar mangás maravilhosos no Brasil. Dá para perceber que os títulos estão divididos entre duas principais editoras, a Panii e a JBC. Ambas possuem títulos muito fortes, mas também tem os seus problemas.

  A Panini, apesar da qualidade de seus produtos e da grande variedade de títulos shoujo, é incapaz de seguir um planejamento. A ordem de suas publicações é caracterizada por ser, líteralmente, sem ordem, o que torna a periodicidade de  muitos de seus títulos bastante caótica.

  A JBC, por outro lado, é organizadíssima. Quando eles dizem que o mangá será lançado naquele dia, ele é e ponto final. Os raros atrasos são noticiados publicamente pela empresa, que mostra um grande respeito pelo consumidor nesse quesito. Porém… apesar de deter o monopólio dos mangás da CLAMP, a JBC não tem uma vasta variedade de shoujos… geralmente são publicados um ou dois ao mesmo tempo… e olhe lá! Sem falar na qualidade dos mangás, que é evidentemente inferior à das outras editoras, ocorrendo sempre capas que descolam, entre outros problemas…

  A minha maior mágoa é em relação à Conrad, que sempre trazia títulos incríveis e com alto padrão de qualidade mas… morreu, coitada… E quanto às editoras menores, eu não tenho muito o que comentar… pelo menos por enquanto. Exceto que a qualidade dos produtos é muito boa!

  Os volumes atuais dos mangás podem ser encontrados facilmente nas bancas de jornal. Quanto aos volumes antigos, você pode perguntar ao seu jornaleiro sobre a disponibilidade, ou ir direto à lojas especializadas em quadrinhos. É possível adquirir volumes antigos em feiras e eventos relacionados ao setor. Existem lojas virtuais muito boas também, como a Comix. Em alguns sebos, e principalmente no bairro da Liberdade, em São Paulo, é muito fácil de se encontrar mangás.

  E com tantas coisas legais aqui, ainda existem coisas que eu quero? Claro que sim! Só pra começo, poderiam trazer Nodame Cantabile, Akuma to Love Song, Kinkyori Renai (que não, não é pedofilia!), Lovely Complex (que não saiu aqui até agora por que mesmo?), Mars (mesma questão anterior), Hot Gimmick, Yurara, Stepping on Roses, B.o.d.y, Hana Yori Dango, Saiunkoku Monogatari, Kuroshitsuji…  Pouca coisa, né???

  Então é isso. Termino por aqui essa minha lista enorme, e espero ter ajudado alguns indecisos quanto a qual mangá ler em seguida.

XOXO

Mallu

Anúncios

Zettai Kareshi

25 jul

Oi!!^^

  Seguindo com as minhas resenhas, hoje eu vou falar de Zettai Kareshi.

  Zettai Kareshi (o “namorado absoluto” mais absoluto que a Stefani) é uma série shoujo, de autoria de Watase Yuu ( mesma autora de Fujishi Yuugi). Ambos os títulos foram publicados no Brasil pela Editora Conrad e são difíceis de achar atualmente… (mas são muito bons ^^). Enfim…

  Zettai Kareshi também ganhou uma versão em dorama (que eu gosto bastante). Porém, a história do dorama sofreu adaptações drásticas, ficando bem diferente da história original do mangá. Nesse post, eu vou falar de ambas. Vamos começar pela história do mangá.

  O mangá conta a história de Izawa Riiko, uma adolescente que, por conta de seus pais estarem sempre viajando a trabalho, ela passa maior parte do tempo sozinha em casa. Riiko conta apenas com a “amizade” se seu vizinho Azamoto Soshi, que cuida dela com todo o carinho, e tem uma paixãozinha platônica pela nossa protagonista.

  Riiko quer muito ter um namorado, mas ela não é exatamente do tipo que faz sucesso com os meninos da escola.  Até que um dia ela recebe, das mãos do divertido Namikiri Gaku, um cartão da companhia Kronos Heaven, que prometia acabar com os problemas dela.

  Curiosa, ela acessa o site da empresa e então descobre do que se trata. A empresa vende namorados, eba! E a nossa protagonista resolve encomendar, com o seu teste grátis de 3 dias, um namorado ideal. No site, é possível escolher as características exatas de seu namorado, para que ele seja o namorado ideal para aquela pessoa.

  E é assim, que Riiko recebe em sua casa, o lindo, maravilhoso, divo, absoluto namorado robô perfeito! Já que o robô dela é um exemplar especial da “Série de amantes Noturnos”, ela que é muito criativa resolve batizar o nosso amado de Night (Que depois vira Tenjo Night, quando ele precisa usar um nome um pouco mais… socialmente aceitável).

Você também quer me comprar?

  Sem ter aproveitado devidamente o seu andróide, nem ter lido corretamente as instruções sobre a devolução, o prazo de teste grátis termina, e Riiko se torna a proprietária legítima de Night. Mas ela não fica feliz… D: POrque além dela ser boba e não aceitar muito bem a idéia de namorar um robo, ela acaba ficando com uma dívida enoooorme (porque a perfeição além de efêmera, é muito cara!).

  Como Riiko além de boba é pobre, a Kronos Heaven (que já planejava isso desde o princípio) deixa ela ficar com o robozinho sem ter que pagar, se ela topar entrar no programa de testes da empresa, pois, como os namorados robôs são um produto novo, a companhia ainda está testando eles, e precisa desenvolver um estudo completo sobre as emoções humanas femininas. Riiko, sem escolha nenhuma, acaba entrando neste estudo.

Soshi, Riiko e Night

  E esse é o começo de uma divertida comédia romântica, com um (não me diga) triângulo amoroso. O final seria previsível, até o ponto que ocorre uma tragedia e tudo muda de figura. Agora CHEGA DE SPOILERS!

  O enrredo do dorama é basicamente a mesma coisa. Moça encalhada solteira compra namorado robô perfeito, sem saber que o amor estava ao lado. Com o porém que TODO MUNDO É ADULTO, SOSHI É  UM EMPRESÁRIO MILIONÁRIO, NINGUÉM VAI PRA ESCOLA E, MESMO QUE SEJAM MAIS VELHOR, NIGHT E RIIKO FAZEM MUITO MENOS “COISAS”. Fim do desabafo.

  Me decepcionei total no começo do dorama. Mas como o Night ainda é o namorado perfeito, e a história, mesmo não tendo nada a ver com a do mangá ficou muito boa (ou seja, Zettai Kareshi é bom de qualquer jeito) eu perdoei totalmente e comecei a amar o dorama.

Misushima Hiro (Soshi), Hayami Mokomichi (Night), Aibu Saki (Riiko)

  Eu recomendo, tanto o mangá quanto o dorama (talvez mais o mangá que o dorama, mas o dorama é bom também). Zettai Kareshi é uma comédia romântica que emociona bastante.

XOXO

Mallu