Tag Archives: school-life shoujo

Bokura ga Ita

23 mar

Oi!!^^

  No embalo do anuncio do live-action da série, prometido para 2012, eu decidi assistir ao anime (de 2006), que estava na minha lista de pendências ha algum tempo. Eu não lí o mangá (de Obata Yuki, publicado na revista Betsucomi) no qual a série se baseia, mas sei que é um tremendo sucesso no Japão, e está na reta final (me parece que acaba ainda esse ano).

  Depois que comecei a assistir me lembrei o porque eu enrolei tanto para começar… a série é extamente do tipo de shoujo que não me agrada muito. Eu recomendaria para os fãs de materiais tipo… Sunadokei. Sei que bastante gente gosta, mas eu não… Geralmente séries assim me prendem no começo, mas eu acabo desistindo vencida pelo cansaço…

  Enfim, vamos ao resumo.

  A nossa protagonista é a chatinha (não do tipo que eu detesto no começo e adoro depois, ela simplesmente é… detestável) estudante colegial Takahashi Nanami, ou Nana. Ela não é muito bonita e nem muito popular, e prende o cabelo de um jeito diferente em cada episódio do anime. No começo ela não gosta muito de Motoharu Yano, o popular da sala, mas não demora até que ela se apaixone por ele.

  Logo no começo, ele corresponde ao amor da menina (vitória!!!!) e eles passam a namorar. Na mesma velocidade com que eles passarm a se relacionar, eles passam a brigar. E eles brigam sempre. Na maior parte das vezes, por conta de ciúmes, ou por insegurança e mimo de Nana. Como se não bastasse a namorada pouco fexível, Yano também não tem o melhor histórico do mundo, tendo traumas em seu passado que sempre vêm à tona e balançam a relação.

  E eles ficam assim… terminando e voltando, sempre brigando, mas sempre apaixonados. E esse vai e vem de brigas e reconciliações continua até o final do anime que confesso, quase me roubou algumas lágrimas no último episódio. Quase. Essa é a palavra de Bokura ga Ita, pelo menos para mim. É uma história que é quase legal. O protagonista Yano é quase legal. Mas fica tudo no quase mesmo.

  Mas se você não se importa com isso, e aposta todas as suas ficas apenas para ver cenas românticas fofas, Bokura ga Ita vai te presentear com muitos momentos fofinhos e românticos (isso é, quando o casal principal não está brigado).

Spoilers, selecione para ler:

  Alguém mais ficou irritadíssimo com aquela briga do final, com a idiota da Nana sendo totalmente insenssível, incompreensiva e egoísta, não respeitando nem mesmo a doença da mãe da Yamamoto, coitada!

  Por falar em Yamamoto, eu até que torcia um pouco por ela sabe? Coitdada… Sempre com uma Nana chata pra atrapalhar o caminho dela! (Talvez a Yuki tenha sido em alguns momentos a minha personagem favorita do anime).

  E por falar nisso, eu já ouvi falar de uma história assim, com duas meninas chamadas Nana!! (Risos)

  E vamos combinar que, ciúmes da ex-namorada defunta é passar dos limites do aceitável.

  A série não é uma comédia romântica. E também não tem drama o suficiente. Na minha humilde opinião, Bokura ga Ita é… morno. Mas talvez eu dê uma olhadinha no mangá, só para ver como a história termina (mesmo que eu tenha quase certeza de como vai ser). Lembrando que, tudo que eu disse aqui é uma opinião minha. Eu realmente não tenho muita paciência com esse tipo de história de romance com ciúmes, separações e reconciliações…

  Ah, e o final do anime não é muito conclusivo não, parecendo que tinha certeza que ia ganhar uma segunda temporada (que não veio até agora).

  Preciso ver OURAN para me recuperar….

XOXO

Mallu

We pray for Japan!

Anúncios

Kimi ni Todoke

25 fev

Oi!!^^

  Por falar em Kimi ni Todoke… eu resolvi aproveitar o embalo da notícia do lançamento do mangá no Brasil pela Panini (feliz até agora ^^) e fazer a minha resenha do anime.

 Eu li pouca coisa do mangá, só alguns capítulos ( problema que será resolvido em breve, graças à Panini ) então minha resenha será majoritariamente baseada no anime (nem adianta me perguntar se o anime é fiél ao mangá, porque eu não conheço a história do mangá tão bem assim, então posso acabar falando alguma bobagem).

  Kimi ni Todoke é uma série shoujo com autoria de Shina Karuho, publicada originalmente na revista Margaret. A história é um school-life shoujo, com um romance bem envergonhado. E, notícia ótima para alguns, para outros nem tanto, é slice of life.

   Tanto o mangá como o anime de Kimi ni Todoke fazem basante sucesso no Japão, tanto que o anime ganhou uma segunda temporada este ano (fato nem tão comum assim no mundo dos animes baseados em mangá shoujo, visto que mesmo títulos de sucesso como Fruits Basket e KareKano tiveram seus animes abandonados na metade da história…). A série também tem um filme live action que eu não assisti… T.T

  Vamos para a história.

  A nossa protagonista é a peculiar Sadako Kuronuma Sawako. Com seu visual apavorante no maior estilo de filme de terror asiático, ela afasta as pessoas (que morrem de medo da coitada), embora ela seja, na verdade, uma pessoa gentil e solícita.

   O único que não parece temer ela de forma alguma é o nosso mocinho, o pop da escola Kazehaya Shouta.  Com a amizade entre os dois (e muito esforço por parte da tímida menina), Sawako consegue fazer uma turminha de amiguinhos, e mais tarde, consegue se integrar com as outras pessoas da escola.

  A história então, basicamente, gira em torno de Sawako que, após passar toda a sua vida isolada, após conhecer Kazehaya têm sua vida completamente alterada, vivenciando a experiência de ter amigos pela primeira vez, além de, obviamente, experimentando o seu primeiro amor (advinha com quem?).

  No anime também podemos acompanhar (pelo menos um pouquinho) a história do amor platônico de uma das amigas de Sawako, Chizuru (que, na minha humilde opinião, supera o romance principal).

  Se você está procurando uma história tocante, que mostra de maneira delicada a evolução gradual dos sentimentos entre as pessoas, Kimi ni Todoke é para você. Se você gosta de ação, fuja para as montanhas. Sério.

  Kimi ni Todoke é indicado para pessoas sensíveis que gostam de histórias românticas, e que não se frustram em acompanhar lentamente a evolução de um relacionamento onde os dois são tímidos. Se você gosta de um romance com mais… paixão, leia Black Bird que você ganha mais!

  Agora… um pequeno grande spoiler para os curiosos de plantão… (Selecione para ler)

  Ok, que Sawako e Shouta iriam ficar juntos todo mundo já sabia. O que talvez vocês não saibam é que… eles não se beijam. Pelo menos não ainda. Não existe beijo na primeira temporada… E pelo que eu lí no mangá, a situação está bastante… deprimente. Sawako se declara para Shouta com um sonoro “eu te amo” no final do capítulo 39. Eles começam a namorar oficialmente alguns capítulos depois disso. O caos é que… eu lí até o capítulo 55 (isso mesmo, CINQUENTA E CINCO)  e, até agora, nenhuma bitoquinha… :/ Que que é isso? Frits Basket 2?

  E o mais frustrante é que existem muitos momentos “quase”, onde você fica pensando “Agora vai! Agora vai!” , mas nunca vai. Essas coisas me tiram do sério. Do jeito que está, acho que beijo só no último volume…

  Para finalizar, um fato curioso. Eu gostei dos protagonistas, embora eles tenham personalidade totalmente diferente da dos personagens que eu geralmente gosto… Sawako é aquelas menininhas que são boazinhas demais, acabam sempre sofrendo e fazem de tudo para agradar aos outros (nada à ver com as minhas amadas Tsunderes, ou com as minhas queridas personagens maluquinhas, no maior estilo Hirasawa Yui e Suzumiya Haruhi), mas ela é uma personágem TÃO adorável, que não tem como não se apaixonar e torcer por ela! Já o menininho, é lentinho de mais pro meu gosto. Mas ele é TÃO bonzinho, que tudo bem…

   Eu amei Kimi ni Todoke. Afirmo com certeza que foi a história mais bonitinha que acompanhei recentemente,e, com certeza, irei ler o mangá.

XOXO

Mallu

Kimi ni Todoke no Brasil!!!!!

15 fev

  Aeeeeeee!!!!!!!!! A espera acabou!!! Depois de Black Bird no ano passado, a Panini traz para  o Brasil mais um shoujo de sucesso: Kimi Ni Todoke.

  A série é um school-life shoujo com um romance bem fofito! Vou comprar com certeza! Até que enfim, mais um shoujo bacana nas bancas, já que Vampire Knight e Ouran (os melhores atualmente em publicação, na minha humilde opinião) não aparecem já faz algum tempo…

  O mangá, de autoria de Shina Karuho e publicado originalmente na revista Mararet, vai ser bimestral (por favor por favor que intercalem com Black Bird) e com o costumeiro preço da Panini, R$ 9,90.

  (Panini, traz Maid-sama! , Kuroshitsuji e Nodame Cantabile também, por favor? Quanto a Hana Yori Dango, já desisti de me iludir mesmo T.T…)

  Ví a notícia no Anime Pró.

XOXO

Mallu

Kaichou wa Maid-sama!

30 jan

  Oi!!

  E agora, no último dia das férias, eu trago para vocês uma resenha de um ótimo anime para ver nas férias (sádica, eu?)!

  Mas não se preocupem… podem ver em época de aula também pra dar uma animada no dia ^^

 

  Kaichou wa Maid-sama! (A presidente é uma empregada!) é um anime  tão divertido, que, se você não ficar atento, nem vai perceber que ele encerra sem falar quase nada do que deveria…

  Vale dizer que eu ainda não lí o mangá (embora tenha muita vontade), e com certeza seria um título que eu acompanharia se fosse lançado por alguma editora brasileira (Panini, dá um help aí e lança Maid-sama! pra gente, vaaai!!), então não sei como a história se desenvolve originalmente, então vou fazer o resumo com base apenas no anime mesmo. ^^

  O mangá de Kaichou wa Maid-sama é publicado na revista shoujo LaLa (LALAAAAA!! \o/) e ainda não acabou. A autora é Fujiwara Hiro, que já publicou outras coisinhas que eu não conheço, e tem em Maid-sama! o maior sucesso de sua carreira.

  Eu estou querendo assistir esse anime desde que foi lançado em Abril de 2010, mas só consegui assistir agora. E, como esperado doas animes baseados nos mangás da LaLa (sim, eu sou fã convicta da LaLa e acho que é a melhor revista shoujo ever), não me arrependi de assitir e me diverti bastante.

  Agora vamos aos fatos…

  A nossa protagonista da vez é a tsundere EXTREMAMENTE briguenta, Ayuzawa Misaki. Misaki passa por dificuldades financeiras em sua família desde que seu pai abandonou a casa, deixando mãe e duas filhas com uma grande dívida para saldar. Todos na casa colaboram, a irmã mais nova de Misaki, sempre em busca de ofertas e sorteios, a mãe trabalhando bastante, e Misaki, que escolheu uma escola barata para estudar e procurou um trabalho… pouco convencional.

  Vamos primeiro falar da escola. Misaki entrou em um colégio que antes era mascuino e, recentemente, se tornou misto. Por conta disso, a maioria dos alunos são homens e a escola era uma bagunça, onde as meninas se sentiam oprimidas por eles.

  Querendo mudar essa situação, Misaki , que é excelente nos estudos e nos esportes, se torna presidente do conselho estudantil (formado apenas por homens). Com regras rígidas e muitas ameaças e agressões, Misaki consegue colocar um pouco de ordem na escola. Porém fica evidente o quanto ela protege as meninas e persegue os meninos, mesmo que ela mesma não perceba isso. Por isso os meninos não gostam muito dela, eles apenas a temem (fato que ela precisa mudar, se quiser manter sua posição).

  Quanto ao trabalho, Misaki precisa de um emprego onde ela consiga ganhar bastante sem trabalhar muito, já que o trabalho não pode prejudicar seus estudos, para que ela possa se manter presidente do conselho. Então ela vai trabalhar em um Maid Café… Claro que em um lugar afastado da escola, porque ela tem medo de que se os alunos soubessem de seu emprego, não respeitassem mais a sua autoridade como presidente.

   Mas como em animes os segredos das protagonistas nunca estão seguros, ela é descoberta logo no primeiro episódio pelo menino-pudim da escola, o par romântico PERFEITO de mangá shoujo, totalmente idealizado e sem nenhum defeito, o atrevido Usui Takumi.

  Mas diferente do que Misaki pensava (e correspondendo às expectativas da audiência), Usui guarda o seu segredo e se torna o seu maior aliado na conciliação dessa vida dupla que ela leva. Misaki, por ser muito ingênua, acredita que Usui apenas gosta de provocá-la, e não percebe os reais sentimentos que o rapaz nutre por ela.

  E a história se desenvolve assim, com Misaki sendo a salvadora das meninas da escola, e Usui sendo o nobre cavaleiro que sempre está lá para salvar a sua donzela (que, em hilárias cenas, mostra que sabe muito bem se virar sozinha, mesmo que precise ser salva as vezes…).

  Os pontos altos do anime, na minha opinião, são o fato de que, por se tratar de um anime shoujo, houve pouquíssimo fanservice nas cenas do maid café (tema que poderia ter dado abertura para MUITO fanservice), e a questão das maids tomou o rumo do moe moe (cenas engraçadíssimas com a gerente e seus surtos moe! Gerente, amo você!); além do protagonista, Takumi, que exala o mais puro moe moe!! É o protagonista perfeito, que diferente de muitos do mundo dos mangás, não despreza nem trata mal a garota, ele é bom para ela desde o começo. Além de toda essa perfeição, maid-sama! também é um anime bastante engraçado (não engraçado como OURAN, mas mesmo assim muito engraçado!), o que me fez bastante feliz.

  E agora, os pontos fracos. (Tem um pouquinho se spoiler, nada muito grave mas… selecione para ler.) Eu não entendo porque o romance finalmente destrava nos últimos 2 minutos do último episódio. Isso é muito chato, porque a maioria das comédias românticas só mostra a fase da paquera e da conquista, e nunca do namoro em si. Mas esse nem é o maior problema, já que quem assite muito shoujo já sabe que é assim mesmo que funciona na maioria das vezes… (tirando raras e lindas excessões, como Black Bird né? ^^). Mas o problema MESMO foi: ok, terminou. E a história?

  Para quem só ligava para o casal protagonista, tudo ok. Finalzinho meio caído mas nem por isso inesperado ou muito decepcionante. Mas e as histórias dos bastidores? Eu não sei como é no mangá, mas eu senti falta de um aprofundamento na trama do abandono do pai da Misaki. E o amigo de infância, ele aceita perder Misaki para Usui, ou ele vai continuar dando em cima dela? Por quê não arrumaram uma mulher pra ele, hein? Coitado! E aqueles caras da escola sinistra dos ricos? Eles simplesmente vão deixar eles em paz? O vilão conhecia ou não o Usui previamente (porque não me lembro em qual episódio, ele diz “como esperado do Usui”)? E a história do Usui? Quem ele é na realidade? Pelos encerramentos, dá para saber que ele é um menino rico que foi abandonado pela mãe, e que leva uma vida solitária até que Misaki aparece em sua vida. Mas eles não dizem isso em NENHUM momento do anime. Eu realmente esperava um episódio onde Usui iria revelar a sua história triste para Misaki, mas fiquei na expectativa e o anime acabou sem acontecer nada :/

  Por isso fico na expectativa para uma segunda temporada, que ainda não foi nem confirmada nem negada. Porque eles precisam prender essas pontas soltas deixadas ao longo da história.

  Mas… se não houver segunda temporada, eu recomendo Maid-sama! para aqueles que não querem levar o anime muito a sério nem se prendem muito na história, e querem apenas se divertir. Agora, se lançarem a segunda temporada, eu recomendo pra todo mundo, mesmo!

  (Ah, e eu me recuso a dizer que tem um triângulo amoroso. Eles até tentaram criar um, mas a concorrência tava tão fraca, que nem rolou… Então esse anime é bom pra quem já está um pouco cansado dos típicos triângulos amorosos.)

  E, para finalizar, eu preciso falar dos encerramentos.

  A abertura é chatinha, com música muito enjoadinha e tudo mais, daquelas que dá pra pular sem dó (Ok, é colorida e bonitinha… da primeira vez. Agora tenta aguentar 26?). Agora os encerramentos não! O primeiro encerramento é ok. è legal porque dá uns spoilers da vida do Usui e da cena dos fogos. Agora, o segundo encerramento, é SENSACIONAL!

  Gente! Muito bom mesmo! Altas revelações da vida do Usui, música mara, além daquelas rosas coloridas muuuito Paradise Kiss. Sério. Quem viu Paradise Kiss, é impossível não fazer o link, ainda mais quando as rosas ficam azuis…

  Vou colocar os vídeos aqui. O da abertura e dos encerramentos. O Primeiro só tem aquela pegada hot do Usui, mas o 2 é incrível (eu gostei muito, pelo menos…)

Abertura:

Encerramento 1:

Encerramento 2:

  O post hoje ficou grandão né? É pra compensar tudo o que eu deixei de escrever nessas férias…

XOXO

Mallu

OBS: Para quem não sabe, maids café são cafeterias ou lanchonetes onde as atendentes são vestidas com roupas típicas de empregadas francesas. Os maid cafés são muito populares no bairro de Akihabara, em Tókio, que é o point dos Otakus (o que faz o muito sentido, já que a atmosfera dos cafés são sempre puro Moe Moe). As maids representam um fetiche masculino, mas de forma alguma podemos dizer que as maids dos maid-cafés são prostitutas ou coisas do gênero.

  Os maid cafés criam um ambiente de fantasia e descontração, onde as atendentes são sempre muito atenciosas e simpáticas, e tratam seus clientes por “mestre” ou “meu senhor”. Alguns cafés disponibilizam serviços especiais, como poder tirar um foto com sua maid favorita (mediante pagamento, acumulação de pontos ou sorteio) ou jogar jogos com as maids.

  Eu quero deixar bem claro que, apesar de representarem uma fantasia, as maids NÃO SÃO garotas de programa. Elas são garçonetes (algumas delas otakus) que se divertem representando esse papel, ou apenas o consideram um trabalho de garçonete normal, e o fazem pelo dinheiro.

Mei-chan no Shitsuji

27 dez

Oi!!

  Depois da decepção com o dorama de Yamato Nadeshiko Shichi Henge,  eu confesso que estava meio preocupada quando fui assistir Mei-chan no Shitsuji…

 

  Ainda bem que eu estava errada! Eu me diverti HORRORES com esse dorama!!

  Mei-chan no Shitsuji tem 10 episódios, e foi exibido no Japão no começo de 2009. O dorama é baseado em um mangá shoujo, de autoria de Miyagi Riko, publicado em capítulos na revista Margaret.

  O dorama é muito legal e muito nada a ver também (definitivamente não é um dorama para ser levado à sério). É aquele tipo de série bem com “cara de férias”, sem fortes emoções, bem levinha e divertida.

  A série conta a história (absurda) de Shinonome Mei (interpretada por Eikura Nana), que leva uma vida simples no interior com seus pais. Até o dia que seus pais morrem, e ela descobe que, na realidade, é a herdeira da família mais rica do Japão… Aí ela passa a ser Hongo Mei…

  Aí ela fica brava porque um MORDOMO LINDO  BOFE ESCÂNDALO (interpretado pelo soshi Misushima Hiro) vem para servir ela,e levá-la para a melhor escola do mundo… Só em dorama mesmo, né minha gente?

O mordomo absoluto, Rihito-sama

  Mas depois dela quase ser morta (porque, sabe como é, nessas brigas de sucessão de grandes famílias, ninguém nunca vai muito com a cara do bastardo que aparece depois e é o herdeiro legítimo…) ela aceita ir para a tal escola com o seu mordomo LINDO BOFE ESCÂNDALO.

  Chegando lá, ela percebe que não é apenas ela. É uma escola muito especial, onde estudam apenas as filhas das grandes famílias do Japão. Elas estão lá para se tornarem grandes damas, e, para isso, cada uma delas conta com a ajuda de UM LINDO MORDOMO BOFE ESCÂNDALO! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

A criança mais linda do mundo, Miruku (Yoshida Riko) e seu mordomo Daimon (Suzuki Ryohei)

  Eu tenho uma palavra que não sai da minha cabeça quando eu lembro de Mei-chan no Shitsuji… MOE MOE MOE MOOOOOOEEEEEEEE!!!!!!!!!! (Não sabe o que é MOE querido leitor? Por quê você não dá uma olhadinha lá no nosso Glossário Otaku, hein?

  Enfim, eu fiquei tão feliz vendo esse dorama…

  Bom, pela primeira vez em um dorama japonês, os papéis masculinos que supostamente deveriam ser interpretados por rapazes bonitos foram DE FATO interpretados por rapazes bonitos!!!Gente!!!! Que bom hein??? E não era UM galã!! Foi um festival de galãs! Tinha para todos os gostos!!! Sério, mulherada, fica esperta! Não desvia da figuração! Em muitos momentos, apesar da cena principal, a diversão está mesmo é no plano de fundo, com os mordomos galãs e suas damas peruas!

Aoyama-sama (Mayama Akihiro)

  Mas agora… um minuto de silêncio. Os mordomos são lindos (pelo menos quase todos), as damas são lindas (pelo menos, quase todas), então, por quê meu Deus? Por quê a protagonista é TÃO BARANGA???? Gente!!! Ela não é só relaxada, que nem as nossas amigas divas coreanas, do estilo Kim Sam Soon e Park Kae In, que basta uma produçãozinha mínima e já arrasam. Ela é estranha MESMO!!! Eu não sei se a moça é feia, ou se é aquele cabelo “Beatles cover”, eu não sei. Só sei que é uó!!! E eu ri na parte que o mordomo mara fala pra ela tirar os óculos, porque sem eles ela fica mais bonita. GURI! Manda tua dama por um mega-hair. isso sim!

  Ufa, desabafo… passou.

O melhor par mordomo-dama da série! Nezu (Kyo Nobuo) e Fujiko (Nakabeppu Aoi), os mafiosos!

  Voltando à história, a escola maluca é a Academia Santa Lucia. Lá as meninas ficam em dormitórios de acordo com a sua classe e postura. Ao se matricular na escola, as meninas entram diretamente para a classe Ombra. Conforme elas vão evoluindo, elas podem passar para as classes Luna e Sole. E apenas uma, a mais refinada de todas, a dama das damas ganha o título de Lucia, e pode viver em uma estufa maravilhosa.

  No aspecto de escolas dos super ricos, nós podemos recordar em alguns momentos de Eitoku Gakuen, de Hana Yori Dango (Colégio Shinwha, na versão coreana Boys Before Flowers), ou mesmo o colégio OURAN, de Ouran High School Host Club, mas não se enganem! Apesar das extravagâncias dos super ricos estarem presentes na Academia Santa Lucia, o fato de ser um colégio feminino e a presença dos mordomos torna tudo completamente diferente e original (e muuuito legal! rsrsr).

  Spoiler… selecione para ler…

  E já que estamos falando da história, não podiamos deixar a nossa Lucia-sama de fora. GENTE! Eu tenho vontade de morrer quando me falam que não perceberam de cara que ela era a vilã! Como não? Ou vocês acharam aquele visual “tons pastéis na minha cadeira de rodas branca guiada pelo meu mordomo TOTALMENTE BRANCO ” normal???Gente! Vamos prestar atenção! Quando, no mundo dos doramas/animes , o cara do cabelo branco é bonzinho? Ou ele é perturbado (como é o caso do Zero, de Vampire Knight, que só não é malvadão porque o cabelo dele é cinzinha e não brancão), ou ele é ruim MEEESMO, tipo aquele ser estranho, cujo nome eu não me recordo, do Liar Game. E nesse caso, eles foram super além! Até a sobrancelha do cara é branca!!! Como assim genteeeee!!!! (Embora ele seja lindo… ignorando o visual “Ace todo branco fosse assim” )

  Ok, foi iteressante a descoberta de que Lucia era a sucessora da família Hongo, até a Mei-chan vir e estragar a festa dela (daí um dos motivos dela ser má, não vou contar o motivo principal nem por spoiler!! Tem que ver para sabeeer!). Mas que ela ia ser do mal já estava óbvio desde o começo.

   E eu fiquei até o final do dorama sem entender direito qual era a dela. De boa. Se você é doente, fica de cama! Cadeira de rodas pra gente que consegue andar acaba com a minha calma! E o pior de tudo, eu pensava que ela fingia ser doente, mas não. Depois fica claro que TODO MUNDO SABIA que ela era fisicamente capaz de andar, e só não fazia isso porque estava cansadinha mesmo… E, de boa, gente com a saúde tão frágil não tem força pra atrapalhar tanto que nem ela fez na série! Eita mulher insuportável, viu?

Lucia-sama com seu mordomo super normal...

  Eu recomendo Mei-chan no Shitsuji pra quem quer um dorama curto e levinho, só para passar o tempo mesmo, e que não vai mudar muita coisa na sua vida, embora seja um ótimo entretenimento.

  Esse vídeo aqui mostra fotos de todo o elenco, separando eles pelos dormitórios (achei bem legal isso!), além dos outros personagens. Tem o nome dos atores e dos personagens. As fotos dos mordomos seguem suas damas. (só me irritou um pouco essa legenda na cara das pessoas, mas nessa vida a gente supera tudo). A música é “My Sunshine”, música tema do dorama.

  E esse é o encerramento do dorama. de novo, a mesma música. Passa bem rapidinho, mas se você pausar o vídeo, dá para ver direitinho os mordomos com as suas damas.

  Enfim, pessoas, assitam!

XOXO

Mallu

Playfull Kiss (o dorama coreano de Itazura na Kiss)

22 dez

Oi!!^^

  Todo mundo sabe que Itazura na Kiss é um dos meus shoujos favoritos de todos os tempos, porque é uma história de amor linda, mas que também mostra que na vida e no amor nem tudo sai perfeito… algumas pessoas se machucam, algumas não são correspondidas, e algumas são completamente devotas à outras. Mas, o mais importante de tudo é que os sentimentos podem mudar sim!

  Agora pensa bem se eu não iria assitir ao k-drama (os japoneses que me perdoem, mas os dramas coreanos são a minha paixão) dessa história maravilhosa, hein?

  Eu sei que o dorama não teve uma audiência muito boa, mas quer saber? Problema de quem não viu! Eu gostei, e muito!

   Primeiro porque é Itazura na Kiss, e, tipo assim, já é perfeito. (Eu falei de Itazura na Kiss no blog aqui, se puderem ler, eu ficaria feliz ^^). Além do visual privilegiado (Hyun Joong, me liga?), nós temos também uma história linda, com destaque para o amor da família (que é uma coisa muito importante, mas que as vezes é negligenciada), e com um final que não me decepcionou em nada! (Para quem não sabe, o mangá no qual a história é baseada, terminou abruptamente após o falecimento de sua autora, não apresentando um final, por isso o final do dorama era uma surpresa, mesmo para quem conhece a história!).

  Eu gostei muito desse k-drama, talvez tanto quanto tenha gostado do anime (só fiquei muito triste por não ter o retorno do Non-chan, o menininho doente que fica amiguinho do irmão do Irie (Baek Seung Jo, no coreano). Essa parte do anime é tão bonitinha ^^).

  Vale falar também que o dorama termina antes do fim do anime, o que eu gostei, já que a minha parte favorita do anime é a primeira mesmo… hahaha

  No drama, a personagem principal, a meiguinha Aihara Kotoko se chama Oh Ha Ni, e é vivida pela atriz Jung So Min. Já o grosseiro (mas no fundo não tão idiota assim) Irie Naoki se chama Baek Seung Jo, e é vivido pelo integrante do SS501 (aaaaaaaaaa!!!!!!! *o*), o bonitinho Kim Hyun Joong (e a mulherada gritaa!).

  Enfim, ele é bonitinho, mas eu acho ele meio com cara de menininha, sei lá (NÃO ME MATEM MOÇAS! É UMA MENININHA LINDA!). Mas eu gosto dele de qualquer forma. Ficou bem no papel, eu achei…

  De qualquer forma, pessoas, assistam! É uma história muito legal ( no comecinho é meio chatinho e parece bobinho, mas depois melhora bastante!). É perfeito porque tem romance, comédia e drama, tudo na medida certa!

   Será impossível não se apaixonar pela criança mais linda do mundo, o irmão do protagonista, Baek Eun Jo, vivido pelo fofíssimo Choi Won Hong ; não se emocionar com os momentos pai e filha, e com o amor que a mãe de Baek Seung Jo sente por Oh Ha Ni ^^ Eu também amei os figurantes… as amigas da Oh Ha Ni, o fofo e apaixonado Bong Joon Gu (interpretado por Lee Tae Sung)…

Eu recomendo!!

XOXO

Mallu

Bijojuku

15 maio

Oi!!^^

  E aqui estou eu, depois de muito tempo. Mas eu tenho uma desculpa esfarrapada… Como eu posso dizer… acho que fiquei muito abalada com o fim do DBSK. Sim, foi isso mesmo. (?).  Mas vamos ao que interessa.

  Eu li Bijojuku, de Mayumi Yokoyama, que foi uma das novidades que a Panini trouxe nesse ano.

  Primeiro, eu preciso falar. Panini, o que aconteceu contigo?  Censura 14 não dá. Não que eu seja puritana, mas é Mayumi Yokoyama. Não é steamy shoujo (porque quem já viu steamy shoujo, sabe que a coisa ferve mesmo. Oooi Shinjo Mayu…). Mas enfim, é beem quase… A indicação deveria ser de 16 anos (que, se não me engano, foi a censura que Galism recebeu, e que Nana recebe).

  Por que? Eu sei que muitos adolescentes mais novos já tem mentalidade suficiente pra ler um Nana, um Paradise Kiss, um Galism etc. sem se impressionar com nada. Se bem que eu conheço gente que achou Kare First Love pesado… Em todo caso, essas pessoas nem olham a censura do mangá (oi eu). Geralmente as que olham são aquelas que se impressionam, enfim, vocês entenderam.

  E tipo assim, EM QUE LUGAR DO PLANETA BIJOJUKU DEVERIA RECEBER A MESMA CENSURA DE OURAN??? Sim! A Panini também classifica Ouran como “recomendado para maiores de 14 anos”. Que falta de critério é essa, minha gente? Acho que foi isso que me irritou mesmo…

  Outra coisa… a tia Panini pecou nesse subtítulo! Cursinho de sedução? Que coisa mais pelega! Se deixassem só Bijojuku (que tem um significado mais próximo de “escola da beleza”) ficaria muito mais bonito e digno. Eles colocaram esse título para tentar vender mais, mas acho que eles deveriam ter pensado no efeito contrário que ele geraria, devido ao excesso de breguisse.

  Gente, que vergonha! Você vai lá, na banca, toda feliz, e tem que aguentar o jornaleiro te encarando porque você comprou a revista do “Cursinho de Sedução”? Pelo amor de Deus! Muita queimação de filme!  A solução é colocar o volume no meio de um bolo de outras revistas e fingir que escolhe balinhas no balcão enquanto o carinha faz a sua soma… muito triste, muito mesmo. Ou, quem sabe, você pode comprar o mangá numa banca do lado oposto da cidade… ou pela internet… dos dois jeitos você protege a sua imagem.

  Fim do momento revolta. Vamos para a parte boa porque, afinal, eu gostei de Bijojuku! 😀

  Achei a parte de dentro da capa muito bonitinha, toda rosinha e enfeitadinha, ponto pra Panini ( que mesmo assim fica em débito por causa do Cursinho de Sedução).

  Quanto a história, é  beeem Mayumi Yokoyama mesmo. Com suas meninas ousadas, bonitas e charmosas, e seus meninos lindos e sedutores. Seu humor apimentado, e sua histórinha hot, que é bem engraçadinha.

  Em Bijojuku, existe o famoso colégio masculino Adam, onde só estudam rapazes da elite. Por problemas administrativos, Adam precisa de mais alunos, tendo que se tornar um colégio misto. O diretor não aceita essa idéia, já que ele não gosta das mulheres.

  Sua condição para aceitá-la foi a de criar um dormitório para bolsistas. Os bolsistas, no caso, são alunos pobres, que não teriam condições de pagar a mensalidade, que são aceitos para ganhar a bolsa por serem muito bonitos e fazerem o tipo do  diretor pervertido.

  Com sua condição atendida, o diretor então permite que as meninas ingressem na escola. Com um simples porém: dentre todas as meninas que se inscreveram, havia meninas de elite, mas ele  as recusou. Ele só permitiu que se matriculassem as meninas que ele considerava de 3ª categoria, e que nunca despertariam a atenção de seus príncipes.

  Hanazono Eve, uma das primeiras meninas da escola (entendeu o trocadilho? Eva, a primeira mulher? Entendeu, né?), vai para lá com o mesmo propósito que as outras: encontrar um cara rico!

  No entanto o esperado inesperado acontece. No meio de tantos riquinhos feios e antipáticos, Eve se apaixona pelo charmoso bolsista Kodakara Go. E, a partir daí, a história se desenvolve.

  É uma comédia romântica engraçadinha. Tem uma historinha meio sem pé nem cabeça, total meio sem conteúdo, mas dá para se divertir. Quem gostou e Bijinzaka e de Galism deve gostar também. O que eu mais gosto na Mayumi Yokoyama é o fato de que ela não fica enrrolando. O mangá é rapidinho de ler, a história evolui rápido tabém. E o melhor de tudo é que é curtinho: apenas dois volumes.

  Indicado para aqueles que querem diversão rápida e simples, sem grande profundidade, mas muito humor.

(Depois eu volto para falar de Black Bird. E também de Otomental, que ainda não foi lançado, mas que é outro mangá de Mayumi Yokoyama que será publicado esse ano pela Panini.) 

XOXO

Mallu

Lovely Complex

2 ago

Oi!!^^

  Hoje vamos falar de Love*Com ^^ . Lovely Complex começou com um mangá, que possui 17 volumes, e que (ainda) não veio para o Brasil. O mangá, de autoria de Nakahara Aya, ganhou um anime de 24 episódios e um live-action, além de um jogo para PS2.

lovely-complex-op-large-06

  Love Com conta a história de amor entre Koizumi Risa, uma menina muito alta para os padrões japoneses (170 cm), e de Otani Atsushi, um menino muito baixo… para os padrões internacionais(156 com). Rsrsrsrs.

  Ambos são colegas de classe. No começo eles se odeiam, depois vão ficando amigos. Como os dois são muito engraçados, são muito populares entre os colegas da escola como sendo os “All Hanshin Kyojin”, uma característica dupla de comediantes japoneses, onde um deles é alto e o outro é baixo.

  Tudo começa com uma aposta: qual deles conseguiria arrumar um namorado primeiro? Só que, os respectivos alvos de ambos começam a namorar. Com todos os seus amigos namorando, os dois se veem obrigados a passar muito tempo juntos. Com isso, os laços entre eles se fortalecem, até que Risa se apaixona. Será que Otani irá corresponder aos sentimentos dela, ou 14 centímetros são uma barreira intransponível para o amor?

lovelycomplex1_01

  Com certeza é um dos melhores animes de todos. Na minha lista pessoa, está em terceiro lugar, logo abaixo de OURAN e de Nodame Cantabile. Vale muito a pena para aqueles que gostam de comédias românticas, e para aqueles que areditam que nenhum impecílio é grande demais quando existe o amor verdadeiro.

  O mangá vai ganhar uma espécie de continuação, que irá se chamar Lovely Complex Deluxe, ou apenas Love Com D. Porém os personagens principais não serão Risa e Otani. Ainda não se sabe se o casal principal será algum casal de amigos da dupla, que apareceram como coadjuvantes em Love Com, ou se serão criados novos personagens.

Eu recomendo^^

XOXO

Mallu

Itazura na Kiss

22 jul

Oi!!^^

  Hoje vamos falar de uma série shoujo clássica, Itazura na Kiss.

itazura-na-kiss

  Tudo começou com uma série de mangás, criada por Kaoru Tada. A série atingiu 23 volumes entre 1991 e 1999, e estava em sua reta final, quando foi interrompida abruptamente pela inesperada morte da autora.

  Em 2008 foi lançada então uma versão em anime, com 25 episódios, além de um episódio especial. O marido da autora alegou que o final do anime (que eu não vou contar como é ;P ) era exatamente aquilo que sua esposa planejava para o final da série, pois ela teria contado para ele como ItaKiss terminaria antes de morrer.

  A história é basicamente assim: Aihara Kotoko, uma estudante comum de desempenho escolar péssimo, se apaixona por Irie Naoki, o melhor aluno da escola. Ela se declara para ele, e é desprezada e humilhada. Como se não bastasse de tristeza para um dia só, ao chegar em sua casa nova, ela desaba após um fraco tremor de terra devido à má-construção.

   Uma migo do pai de Kotoko, após saber da notícia, fornece abrigo em sua casa para ele e para sua filha. E é assim que Kototko passa a ser uma moradora da casa dos Irie. Será que agora, morando sob o mesmo teto que o seu amor, Kotoko será capaz de conquistá-lo?

  Itazura na Kiss: uma comédia romântica hilária. Por que os sentimentos mudam com o tempo.

  Eu gosto muito de Itazura….Bom, pelo menos da pimeira fase, que termina no episódio 14. A segunda fase é mais chatinha…. Até o episódio 14, o anime é maravilhoso. a partir daí a história desanda e desaponta um pouco em relação ao começo. Não que a seja puramente ruim, mas é que o começo é TÃO bom que eu consigo imaginar a dificuldade em manter um nível tão alto… Mesmo assim, Itazura na Kiss é um de meus favoritos.

  A única coisa extremamente irritante em Itazura na Kiss é o design da personagem principal. Eles conseguiram a façanha de fazer uma mulher adulta parecer mais nova que a Sakura na primeira fase do mangá Sakura Card Captors!! É incrível o poder de olhos gigantes e de trancinhas para infantilizar um personagem….Além do fato de ela aparentemente NUNCA envelhecer, mesmo com o longo espaço temporal que o anime percorre. E quando eu digo longo, é LONGO MESMO!!

 Mas, eu recomendo!!!

XOXO

Mallu