Tag Archives: Raito

Code Geass

9 mar

Yo!

Hoje eu vim falar de Code Geass. A história, que foi criada por Ichiro Okouchi, teve diversas versões em mangá, light novel, anime, jogos, etc. O anime se divide em 2 temporadas, sendo uma delas “Code Geass: Lelouch of the Rebellion” e “Code Geass: Lelouch of the Rebellion R2“, apesar de um nome grande desses, a série é usualmente chamada de Code Geass. A equipe de desenvolvimento de Code Geass conta com grandes nomes como a CLAMP, que desenhou os personagens.

A história desse anime gira em torno de Lelouch Vi Britannia, um príncipe e 17º herdeiro na linha de sucessão do trono imperial de um país que tem como território um terço da Terra, o Sagrado Império de Britannia. Após um aparente atentado, a mãe de Lelouch é morta e sua irmã fica cega. Acreditando que a ordem para matar sua mãe tenha saído de dentro da nobreza de Britannia, Lelouch e sua irmã Nunally são enviados para o Japão, aonde se escondem, enquanto todos pensam que os irmãos estão mortos. Mas é bem claro que o Imperador de Britannia, pai de Lelouch, despreza ele e sua irmã.

Em azul Britannia, em laranja A Federação Chinesa, e em amarelo a União Europeia, as 3 super potências

Anos mais tarde, em 2010, Britannia invade o Japão, e como faz com seus territórios conquistados, retiram a cidadania do povo do país conquistado e os sub-julga os identificando por números. Além disso, o país perde além de sua tradição, seu nome, sendo chamados por Áreas. O Japão por exemplo, quando foi conquistado passou a se chamar Área 11, e os japoneses passaram a ser chamados de “elevens”, 11 em inglês. Nesse cenário de Japão conquistado, os elevens são considerados inferiores aos Britannians, cidadãos de Britannia, e por isso têm de suportar agressões constantes e de todo tipo.

É nesse mundo aristocrático regido por tradições ocidentais, e na Área 11  que a história começa, em 2017. Lelouch e sua irmã Nunally já estão morando a alguns anos na Área 11, que como esperado, tem ataques terroristas constantes de forças japonesas de resistência à Britannia.

Lelouch por acidente se envolve em um desses ataques, e quando está prestes a morrer, encontra uma misteriosa garota que se chama C.C. , e que lhe propõe um contrato: ela lhe daria poder , mas em troca desse poder ele deveria realizar um desejo dela. Lelouch aceita, e então lhe é concedido um Geass.

O Geass é um poder dado a alguém, e ele se manifesta de formas diferentes em cada um. O Geass de Lelouch está em seu olho esquerdo, e permite que ele dê ordens a qualquer ser humano, e ele obedecerá incondicionalmente. Entretanto, só funciona uma vez com cada pessoa. Revoltado com Britannia, e movido pelo desejo de se vingar de seu pai, dos assassinos de sua mãe e de Britannia, Lelouch cria um codinome: Zero. Zero se junta a japoneses que resistem à ocupação Britanniana, torna-se seu líder e começa sua verdadeira luta contra o Britannia.

Bom, eu gostei muito desse anime. Demorei pra encontrar um anime que me fizesse ter vontade de ver mais e mais a cada capítulo. O anime que melhor fez isso, além de Code Geass, foi Death Note.
Falanda em Death Note, Code Geass tem, na minha opinião, um ambiente e um feeling parecido com o de Death Note.

Apesar de DN ter uma história policial e de suspense e Code Geass ser um anime de Mecha (pra quem não sabe, Mechas são aqueles robos gigantes, como os de Gundam e de Evangelion) que fala de um mundo futuro, as “frases feitas” sobre justiça, a habilidade de mudar o destino alheio, as “jogadas de mestre” , a tentativa de construir um mundo melhor, e as risadas malévolasde Lelouch, com Zero, me lembram muito as de Raito, com Kira. (Pensando bem, Lelouch parece ter mais sentimentos que Raito)
Isso não é ruim!  Isso é bom! Talvez essa semelhança a DN, o dinamismo, e a ação de Code Geass tenham me feito gostar tanto da história.

Muitos dos animes que vi se tornaram muito previsíveis a partir de um certo ponto. Pelo menos eu enquanto assistia Code Geass, tive a impressão de que sabia o que iria acontecer logo depois, e que tudo perderia a graça, mas aí algo inesperado acontecia. Uma pequena decisão de Lelouch, ou um desastre acabaram por mudar o rumo da história inteira. Eu estou dizendo isso principalmente porque eu não esperava que uma personagem como a princesa Euphie tivesse um destino como aquele! Mas sem spoilers, certo?

Outro ponto positivo, na minha opinião, é que a toda hora o anime te leva a perguntar quem ou o que é o certo e o errado, o bom e o mau. E de fato se chega a uma conclusão. Mas logo depois algo acontece e você volta à dúvida. Uma prova disso é que os dois principais rivais da história, querem (ou pelo menos dizem que querem) a mesma coisa, mas se utilizam de meios diferentes.

Além disso, sinto que Code Geass apesar de ter ação, muitas vezes se focava mais nas relações dos personagens, nos conflitos políticos, ou mesmo nas estratégias de Lelouch do que nas lutas entre os Mechas, que nesse anime são chamados de Knightmares. Os Knightmares foram inventados pelos Britannians, e foi isso que lhes garantiu o poder que sustenta seu imperialismo.

No final das contas, RECOMENDO muito esse anime!! Talvez isso seja porque gostei muito mesmo dele.. Mas acho que é um bom anime mesmo. Só não esperem que o personagem principal seja um herói como o Shinji-kun de Evangelion, ele não é. Lelouch nem luta muito nos knightmares, ele o cérebro, o comando. Ainda não terminei a segunda temporada, mas estou gostando tanto quanto a primeira!

Ah, e só pra não dizer que eu não falei dos mangás:

O primeiro mangá foi lançado no Japão pela Kadokawa Shoten (na Monthly Asuka) em 2006 com o nome de Code Geass: Lelouch of the Rebellion, e teve fim em 2010, com 8 volumes. Entretanto, ao mesmo tempo que este mangá era produzido, outros mangás de Code Geass eram lançados (por tempo menor, com menos edições) como: Code Geass: Suzaku of the CounterattackCode Geass: Nightmare of NunallyCode Geass: Record of the Strange Tales of the Bakumatsu Era .

Em 2010 com o fim do primeiro mangá de Code Geass, a Kadokawa Shoten iniciou a produção de outro título da série: Code Geass: Renya of Darkness, entretanto agora na revista Shonen Ace. Esse novo mangá aparentemente ainda está em produção.
É interessante falar que cada versão do mangá tem uma história diferente ou com o foco em outro personagem.

Ah, e pelo que parece, em 2012 sairá uma nova temporada! Code Geass: Boukoku no Akito, que se passará no mesmo mundo de Lelouch, mas dessa vez, na Europa, e claro, terá novos personagens.

Bom, então por hoje é isso!
Ja Ne!

Anúncios

Death Note: Closer version

3 jul

Oi^^

  O Patrício já falou de Death Note (leiam o post dele, está mara!), mas agora chegou a vez da Mallu *-* !!

_48906_DeathNote_Anime_Cast_500

  Tá bom, Death Note é um mangá muito bom, todo mundo sabe disso e sabe que o sucesso assombroso que ele faz não é a toa.Então vamos falar um poquinho desta hisória intrigante!

  Raito (Light) é um CDF lindo, que, quando tem o poder do Death Note em suas mãos, não resiste e resolve brincar de ser Deus. No começo, ele tem o sonho bonitinho de matar todos os criminosos e transformar o mundo em um lugar melhor para se viver. Age no anonimato sustentando a alcunha de Kira.  Mas conforme a trama evolui, vemos o menino aparentemente bonzinho se transformar em um psicopata assustador. Tudo bem, frio e calculista ele sempre foi, mas quanto mais envolvido ele se via em sua missão de livrar o mundo do mal, mais ele tomava atitudes cada vez mais drásticas para silenciar àqueles que se opunham à ele.

  Do outro lado da história, temos o igualmente brilhante detetive L. L é um jovem com hábitos compulsivos e uma aura estranha. Apesar de todo o clima bizarro que gira em torno deste personagem, ele é, de longe, o personagem mais carismático da história. Com seus métodos de investigação ousados, que combinam perfeitamente com a pessoa incomum que L representa, ele é o maior detetive do mundo. Resolve apenas casos que lhe chamam a atenção, por serem considerados quase impossíveis. Determinado, faz da captura de Kira o objetivo máximo de sua vida, podendo arriscá-la por ele facilmente.

  Death Note, do início ao fim, dá margem para reflexões: o que é o bem e o mal? Quem está do lado certo? O que é a justiça? Kira deve matar os bandidos e ser considerado bem-feitor?Ou Kira, matando os criminosos e se tornando um Serial killer em potencial deve ser considerado o bandido mais perigoso de todos?

  As peças foram lançadas no tabuleiro. Escolha o seu lado e mergulhe de cabeça nesse jogo intrigante que é Death Note! Recomendo para todo mundo!

(Opinião totalmente pessoal: para mim DN acaba no volume 7. leiam e descubram o motivo.)

  (Sim, eu deliberadamente tentei evitar falar de Misa Amane. Mas não consegui.)

  Apesar de ser um mangá fanástico e de leitura quase obrigatória, um fato em Death Note não pode ser ignorado. Nele vemos homens maravilhosos, brilhantes e corajosos. E as mulheres? Sim, temos alguns raríssimos exemplos de personagens femininas no mangá. A mais brilhante delas morre após uma paticipação quase imperceptível ( Wendy). As outras aparecem pouco e tem participações inexpressivas. Exceto por ela : Missa Amane. Uma personagem importante para o mangá.Mas…

  Apesar de aparecer bastante, o foco de suas aparições são as suas debilidades mentais! Ela é o típico exemplo de mulher Amélia, representando um esteriótipo que faria qualquer uma das heroínas do movimento femista chorar! Ela é linda, perfeita, tem um corpo escultural… E UM CÉREBRO DE POMBO! Ela é de longe, a personagem mais estúpida do mangá! Ela não pensa. Age conforme o seu querido Raito manda e baseia todas as suas ações no melhor para o seu maridinho. Quando tem alguma opinião (raramente), ninguém valoriza o milagre de um cérebro morto formular alguma coisa e ela é simplesmente ignorada. Além de fazer o papel de escrava sexual, capacho, e de ser usada por Kira (para quem leu : Olhos de Shinigami), ela REALMENTE gosta desta situação! Eu definitivamente detesto Misa Amane. E poderia detestar Kira por tratá-la tão mal. Mas não. MisaMisa é tão chatinha que qualquer pessoa normal a trataria mal.

  Mas…

  Apesar do machismo total que é Death Note, é o mangá com enredo mais inteligente que eu tive a oportunidade de ler. Tomara que o filme que a Warner vai fazer seja bom e à altura do mangá.

(Para quem já leu: Tomara que eles não inventem de colocar o Near e o Mello no meio…)

(Peço desculpas aos fãs de Misa u.ú . Por favor não me odeiem!)

(O Patrício adora a senhorita Amane…)

( Peço que tentem entender o meu ponto de vista…)

 

XOXO

Mallu

Death Note

3 jul

Yo Minna!

          Vou começar falando de um dos meus Mangas prediletos, Death Note. Bom, acho que quase todo mundo, ou todo mundo já ouviu falar de Death Note, certo? Escrito por Tsugumi Ohba e ilustrado por Takeshi Obata, Death Note foi publicado pela Shonen Jump de 2004 a 2006, com 13 volumes, sendo o ultimo uma edição especial: “How to read”. No Brasil, o Manga foi publicado pela JBC, de 2007 a 2008, incluindo o 13º volume.

deathnoteyg6

          Takeshi Obata é um mangaká (desenhista de manga) que já desenhou muitos mangas, como Hikaru no Go. Mas há quem diga que Tsugumi Ohba, é um pseudônimo (já que ela não tem nenhum outro manga publicado, e tem seus dados pessoais mantidos em sigilo). Dizem também que ela coleciona xícaras, e que senta com os pés sobre a cadeira enquanto trabalha, igual L, um dos principais personagens de Death Note.
          Bom, a história é sobre um jovem incrivelmente inteligente, Yagami Raito (Light Yagami, pela JBC), que encontra um caderno que um Shinigami (Deus da Morte) deixou cair no mundo dos humanos, o Death Note. Porém, esse não é um simples caderno; dentre as muitas regras dele, a primeira é “The human whose name is written in this note shall die” (O humano que tiver o nome escrito neste caderno morrerá). Raito começa a usar o Death Note para matar os criminosos, e com o tempo ganhou fama, sendo chamado de Kira (leitura do katakana de Killer) pelo mundo. Então surge um brilhante detetive, L, que assim como Kira, mantém sua identidade secreta. L começa uma perseguição contra Kira, e assim a história se desenrola.
          Obviamente a história não se limita a isso. Foi muito bem trabalhada, e a cada volume do manga, ou a cada episódio do anime, você não para de pensar no que acontecerá no próximo, e assim por diante! O sucesso foi internacional; além do manga, do filme, da série anime, foram produzidos no Japão uma adaptação para uma light novel, e o Volume 14 (um one-shot contando a história de um Kira que apareceu depois de Raito), além dos jogos para Nintendo DS.
          Resumindo, Death Note é uma história que prende sua atenção do começo ao fim, um suspense policial muito bom (com seus momentos cômicos, claro). Definitivamente, recomendo!! Leiam, assistam, e digam o que acharam!

Ja ne!
Patrício