Tag Archives: Black Butler

Comentando notícias velhas…

18 dez

Oi!!

  O que mais deu o que falar esses dias no mundo Otaku foram os novos lançamentos da Panini. Não é novidade e todo mundo já ficou sabendo, eu sei. Mas só para tirar o elefante do meio da sala, eu acho importante comentar sobre isso.

  A Panini provocou um grande tumulto essa semana ao anunciar a sua nova leva de mangás para 2012. Não duvidaria se algum fã mais fervoroso tivesse sucumbido à um ataque cardíaco, porque as novidades não são poucas! Depois de um ano morno, com lançamentos meio desconhecidos e poucas coisas empolgantes, a Panini prometeu para 2012 nada mais nada menos que ONE PIECE, DRAGON BALL, MONSTER, KUROSHITSUJI (BLACK BUTLER) E 20TH CENTURY BOYS!!!!! (Além de um shoujo chamado Mad Love Chase que eu nunca ouvi falar).

  Temos aí 3 shounens de vendagens absurdas, com One Piece (Eiichiro Oda), Dragon Ball (Akira Toriyama) e Kuroshitsuji (Yana Toboso). A questão é que, Dragon Ball já foi publicado aqui quantas vezes mesmo? Enfim. Tenho certeza que vai ter muita gente comprando de novo. Quando à One Piece, eu acho correto retomar a edição antiga. Os fãs mercem isso, e eu estou torcendo para que dê tudo certo dessa vez. E Kuroshitsuji é aquele tipo de shounen que faz um sucesso absurdo entre o público feminino. Fujoshis gonna love.

  O que fez a minha alegria mesmo foi a vinda do seinen 20th Century Boys (Naoki Urasawa). É o meu seinen favorito, e eu vou ficar muito feliz em poder ter a edição nacional dele. Espero que a editora faça um trabalho bonito, à altura dessa obra incrível. Monster (Naoki Urasawa), outro seinen e outro filho abandonado da Conrad finalmente será concluído no Brasil, e eu também planejo acompanhar a obra.

  Quanto à Mad Love Chase (Takashima Kazusa), eu dei uma pesquisadinha e parece ser uma série de romance com ares sobrenaturais. É provável que eu compre para conferir…

  Das séries anunciadas, eu pretendo comprar os seinens e o shoujo… e eu me comportei muito bem até agora, mas a fujoshi dentro de mim está começando a explodir…

  FINALMENTE KUROSHITSUJI NO BRASIL! MEU DEUS! EU NÃO VOU AGUENTAR ESPERAR! É MUITA EMOÇÃO BRASIL!

  Quem acompanha o blog sabe que eu sou uma fã incondicional do anime de Kuroshitsuji, e estou muito ansiosa em poder ler o mangá! Tomara que seja excelente que nem o anime! (Eu fiz a resenha do anime aqui, caso alguém se interesse em ler). O Patrício escreveu as resenhas de One Piece e Dragon Ball também.

  De acordo com o JBox, a publicação de One Piece será mensal a partir do volume 1, e ao mesmo tempo acontecerá a publicação bimestral a partir do volume 36 (onde a publicação da Conrad foi interrompida). Assim ninguém é prejudicado, nem quem quiser começar a colecionar agora, e nem quem apenas deseja cotinuar a sua coleção). Também segundo o Jbox, a editora Panini afirmou que retomará a publicação dos mangás em pausa no ano que vem.

  Outras notícias relevantes são a publicação do clássico Kimba, o leão branco de Osamu Tezuka pela New Pop, e, só para lembrar, Akuma To Love Song sairá nos Estados Unidos com o nome ” devil and her love song”, pela editora VIZ e terá o primeiro volume lançado em fevereiro. E eu logo logo já vou encomendar o meu.

XOXO

Mallu

Anúncios

Kuroshitsuji

5 fev

Oi!!^^

  Hoje eu vou fazer a resenha de um anime que assisti nessa semana (Desatualizada? Eeeu? rsrsrsrsr), Kuroshitsuji!

  Vamos para as informações iniciais… Kuroshitsuji (Black Butler , “Mordomo Negro” ) é um mangá shoujo shounen (shoujo oculto!), de autoria de Toboso Yana e publicado na revista shounen Square Enix (por isso que é classificado como shounen, embora que, se eu não soubesse disso, diria que é shoujo fácil fácil…). O mangá faz bastante sucesso no Japão, e existe a versão em anime, com 2 temporadas.

  Quanto ao gênero principal… eu não consegui definir direito. O que eu posso dizer é que a história inteira tem muitos elementos sobrenaturais, mistério, um pouco de investigação (nos momentos em que Ciel está a serviço da Rainha), um pouco de horror (óbvio pela trama principal, mas nada assustador), e um pouco de comédia (principalmente nas partes dos empregados e dos shinigamis). Temos também muuuito drama. (E uma pitadinha inofensiva de fanservice…)

  Eu não lí o mangá, então vou fazer minhas considerações baseadas no anime.

  Logo de início, vemos o protagonista, Ciel Phantomhive, firmando um contrato com um demônio (ah sim, importante lembrar, é com UM demônio, não com O demônio… Temos muitas tramas assim no Japão, porque a maioria da população de lá não é cristã, então os demônios são apenas entidades sobrenaturais (malígnas) diversas… ) Agora, os termos e a motivação do contrato, só descobrimos ao longo da história.

  O demônio no caso é o meu, o seu, o nosso SENSACIONAL mordomo favorito (adeus Rihito-sama!) Sebastian Michaelis (é, que nem o dicionário…).

 

    Ok, o protagonista é o Ciel, que é a criança mais maravilhosa do mundo, mas quem rouba a cena e chama a audiência é o Sebastian. Porque, sabe como é né… “como mordomo dos Phantomhive, o que ele faria se não pudesse ao menos fazer isso”? rsrsrs

  A história se desenvolve na Inglaterra, na era Vitoriana (não sei quem tem mais complexo com a Inglaterra Vitoriana, eu ou os japoneses…), e Sebastian serve seu mestre como um mordomo, protegendo sua vida, até que o contrato seja cumprido, quando Sebastian seria livre para devorar a alma do jovem Ciel. Ciel é um nobre inglês, mais precisamente, um conde. Como ele é órfão, ele herdou de seu pai não só a presidência das indústrias Phantomhive, como o título de “cão de guarda da Rainha”, já que sua família, tradicionalmente, faz serviços sujos envolvendo a resolução de pendências no sub-mundo de uma Londres de meados do século XIX, a mando da própria Rainha Vitória. Essa é a trama principal.

  Como tramas paralelas, temos as varias missões que Ciel realiza para a Rainha (reza a lenda que no mangá essas histórias são muito mais bem contadas, o que faz com que sejam mais legais). Alguns arcos foram bastante legais,e alguns eu tive a nítida sensação que poderiam ter sido muito melhores, como o caso de Jack, o Estripador (ou, como dizem no anime, Diacuzaripah (tentando falar Jack, the Ripper). Eu ri, muito alto! mas nos temos que compreender os problemas de pronúncia, né? rsrsrs). Quero muito ler o mangá para descobrir como as missões são tratadas, porque elas tem muito potencial… As missões são baseadas em fatos históricos reais, ou casos literários famosos, embora tenham resoluções completamente fictícias e originais. (Adendo: Eu lí em alguns blogs que a primeira temporada tem muitos fillers, o que pode ser a explicação para essas histórinhas paralelas fraquinhas).

  Enquanto as tramas paralelas deixaram um pouco a desejar, eu gostei muito da trama principal. Muito mesmo. Eu achei os últimos episódios da primeira temporada tão perfeitos e absolutos, que não entendi até agora o porque da segunda temporada.

  Mentira. Entendi sim. O anime dava muita audiência e eles quiseram continuar. Eu não sei como é a história original no mangá (que ainda é publicado, ou seja, não acabou), mas quantos animes tem finais diferentes dos mangás? Isso é uma coisa tão comum! Não acho que teria nenhum problema, mesmo. Eu achei o final da primeira temporada maravilhoso, e realmente emocionante (e o mais importante, conclusivo, coisa que a maioria dos fins de anime não é). Eu não me importo que o final seja diferente, contanto que ele seja bom e conclusivo. ( E, além de tudo, pelo que eu lí por aí a segunda temporada e totalmente filler!)

  Mas como eu amei loucamente a primeira temporada, eu resolvi continuar. Que decepção! A segunda temporada não chega aos pés da primeira! Eles ressuscitam um monte de gente que deveria ter morrido na primeira temporada, o visual é ridículamente inferior, e tem aquele personagem novo INSUPORTÁVEL,  maníaco sexual, psicopata Alois Trancy (e o bonitão Claude, mas nem ele salva a série porque é um chatérrimo… mesmo com toda aquela sedução de óculos…).

  No começo, eu acreditava que a segunda temporada iria ser sobre outro menino e outro mordomo (uma história totalmente independente da primeira temporada). Mas de repente, no final do primeiro episódio, aparece o meu lindo Sebastian (não vou mentir, fiquei suuuper feliz… :/ ). (Eu fui a única tonta que caiu nessa “pegadinha do malandro” ?).

  Aí, nos episódios seguintes eu comecei a acreditar que era um flashback. Mas aí eu percebi que não era. Aí eu achava que era, aí depois achava que não… ou seja, fiquei confusa! rsrsrsrsrsr (Não vou contar se é flashback ou não! Eu descobri sozinha e vocês tem que descobrir também! Gomen, meus fiéis maníacos por spoiler! Mesmo porque essa é a maneira que eu encontrei de me vingar do mundo por me deixar nessa dúvida cruel até quase o final da temporada…)

  De qualquer forma, eu já estava irritadíssima lá pela metade. No finalzinho até que foi legal, eles explicaram o que aconteceu e foi ok. Mas nada se compara ao final ÉPICO da primeira temporada.

   Eu gostei sim de Kuroshitsuji, e gostei muito. Mas acredito que não seja um anime assim… tão fácil de agradar todas as pessoas. Em primeiro lugar, você tem que gostar de histórias sobrenaturais, com direito a demônios, anjos e shinigamis. Além disso, você tem que gostar de histórias bizarras. (Cada temporada tem seu must de bizarrice, selecione para ler porque é spoiler: na primeira, é aquela fusão nojenta dos corpos, que começa com o rosto dos pais de Ciel e culmina na cena mais nojenta e bizarra ever que é a rainhazinha esfregando a pele de seu marido morto, retirada de seu pecoço, na cara, enquanto canta uma musiquinha sobre ele estar caindo… então né? Como lidar?  Se você for muito fresco, Kuroshitsuji NÃO é o seu anime! (Mas eu ameeei essa parte Oo!!!!)Na segunda, temos aquela parte do olho do Trancy olhando pro Ciel de dentro da barriga da empregada demônia lá, e outras coisinhas mais… mas nada tão épico quanto a fusão dos corpos na primeira temporada! ).

  Ah! Quase esqueci! Destaque para os adoráveis personagens de apoio, como o divertidíssimo Grell, o shinigami mais assanhado do planeta (Grell, te amo pra sempre!), o coveiro, e os empregados da mansão Phantomhive (que de cara já dá para perceber a verdadeira natureza deles, mas em um dos episódios finais, eles deixam a verdade explícita para os mais lentinhos (dos outros eu já tinha percebido, mas o segredo da empregada me pegou de surpresa! Adorei!).

Agora, os tradicionais vídeos. Só vou colocar os meus preferidos ^^

Primeira abertura, da primeira temporada (muito glamour):

 

Segundo encerramento, da primeira temporada (adorei, muito melhor que o primeiro):

 

Abertura da segunda temporada (versão Ciel):

 

Abertura da segunda temporada (versão Alois, só pra ninguém falar que eu tenho preconceito):

 

  Se você quer ver um anime muito legal, com um final muito legal (sem pontas soltas!), assita à primeira temporada de Kuroshitsuji. Agora, se você quiser assitir ao resto, tudo bem. Mas não vai ficar decepcionado se jogarem um finalzinho muito inferior ao primeiro no seu colo.

  Recomendo para aqueles que curtem esse estilo de anime (que me lembrou muito Pandora Hearts, não sei porque… :D).

XOXO

Mallu