Arquivo | Shoujo RSS feed for this section

Kyary Pamyu Pamyu

11 jan

Olá!
Primeiramente peço desculpas pelo meu sumiço. HAHAHAHA, as coisas estavam difíceis.
Mas pelo menos a Mallu ainda estava aqui, e percebam que ela não precisa de mim. HAHAHAHA
Brincadeiras à parte, hoje vim falar da Kyary Pamyu Pamyu, apesar de achar que quase todo mundo já a conhece.

Kyary Pamyu Pamyu é uma cantora, modelo e blogger de Harajuku (distrito de Tóquio). Harajuku é uma região em Tóquio que é famosa por ter cosplays, lolitas, lojas de moda, etc.
Kyary ganhou começou a ganhar popularidade enquanto blogger, mas sua carreira profissional começou como modelo para revistas de Harajuku como a “Kera!” e “Zipper”.  Quando ganhou mais popularidade, criou sua própria marca de cílios postiços, e logo começou sua carreira musical.

Kyary lançou seu primeiro single PONPONPON em Julho de 2011. E essa coisa gruda na cabeça. HAHAHA. Tanto que se tornou um “viral hit” no Youtube, como um tributo às coisas Kawaiis. Sim, é isso mesmo.
Ainda em 2011, Kyary lançou seu primeiro mini-álbum: “Moshi Moshi Harajuku”, que vendeu 15,000 cópias. E ainda escreveu uma auto-biografia intitulada “Oh! My God! Harajuku Girl! “ (cuja capa é bem… estranha excêntrica, não é? ) Quer dizer, a maioria das imagens dela que encontramos na internet, misturam um pouco de “kawaiisa” e alguma coisa meio louca, incomum, bizarra. Por esse motivo já li em alguns lugares o apelido de “Lady Gaga japonesa”. Mas será?
Voltando, me parece muita coisa ao mesmo tempo (tudo o que ela fez), mas enfim. Para os fãs, deve ser bom, não é?

Apesar de esse post ter cara de menininha, e talvez devesse ser escrito por uma garota, eu não ligo. HAHAHA
A questão é que essa música PONPONPON ficou por semanas na minha cabeça, durante o tempo em que eu fiquei afastado do blog, então achei que deveria postar sobre isso.
O clipe tem aquela cara de kawaii, com caretinhas, coisas psicodélicas e alguns momentos digamos até bizarros, como vocês viram, mas a música GRUDA. Ou só grudou na minha cabeça, sei lá.
E aqui vai a PONPONPON pra quem quiser ouvir.

Toda vez que assisto esse clipe, vejo uma coisa bizarra nova…  Como os pés descendo do nada, o que acontece na janela, etc…
Não pude colocar mais musicas dela aqui, porque o Youtube tem algum problema judicial com algumas gravadoras, se não me engano; então removeram grande parte dos clipes de muitos artistas….
De qualquer forma, é isso! =D

Ja ne!

Anúncios

Comentando notícias velhas…

18 dez

Oi!!

  O que mais deu o que falar esses dias no mundo Otaku foram os novos lançamentos da Panini. Não é novidade e todo mundo já ficou sabendo, eu sei. Mas só para tirar o elefante do meio da sala, eu acho importante comentar sobre isso.

  A Panini provocou um grande tumulto essa semana ao anunciar a sua nova leva de mangás para 2012. Não duvidaria se algum fã mais fervoroso tivesse sucumbido à um ataque cardíaco, porque as novidades não são poucas! Depois de um ano morno, com lançamentos meio desconhecidos e poucas coisas empolgantes, a Panini prometeu para 2012 nada mais nada menos que ONE PIECE, DRAGON BALL, MONSTER, KUROSHITSUJI (BLACK BUTLER) E 20TH CENTURY BOYS!!!!! (Além de um shoujo chamado Mad Love Chase que eu nunca ouvi falar).

  Temos aí 3 shounens de vendagens absurdas, com One Piece (Eiichiro Oda), Dragon Ball (Akira Toriyama) e Kuroshitsuji (Yana Toboso). A questão é que, Dragon Ball já foi publicado aqui quantas vezes mesmo? Enfim. Tenho certeza que vai ter muita gente comprando de novo. Quando à One Piece, eu acho correto retomar a edição antiga. Os fãs mercem isso, e eu estou torcendo para que dê tudo certo dessa vez. E Kuroshitsuji é aquele tipo de shounen que faz um sucesso absurdo entre o público feminino. Fujoshis gonna love.

  O que fez a minha alegria mesmo foi a vinda do seinen 20th Century Boys (Naoki Urasawa). É o meu seinen favorito, e eu vou ficar muito feliz em poder ter a edição nacional dele. Espero que a editora faça um trabalho bonito, à altura dessa obra incrível. Monster (Naoki Urasawa), outro seinen e outro filho abandonado da Conrad finalmente será concluído no Brasil, e eu também planejo acompanhar a obra.

  Quanto à Mad Love Chase (Takashima Kazusa), eu dei uma pesquisadinha e parece ser uma série de romance com ares sobrenaturais. É provável que eu compre para conferir…

  Das séries anunciadas, eu pretendo comprar os seinens e o shoujo… e eu me comportei muito bem até agora, mas a fujoshi dentro de mim está começando a explodir…

  FINALMENTE KUROSHITSUJI NO BRASIL! MEU DEUS! EU NÃO VOU AGUENTAR ESPERAR! É MUITA EMOÇÃO BRASIL!

  Quem acompanha o blog sabe que eu sou uma fã incondicional do anime de Kuroshitsuji, e estou muito ansiosa em poder ler o mangá! Tomara que seja excelente que nem o anime! (Eu fiz a resenha do anime aqui, caso alguém se interesse em ler). O Patrício escreveu as resenhas de One Piece e Dragon Ball também.

  De acordo com o JBox, a publicação de One Piece será mensal a partir do volume 1, e ao mesmo tempo acontecerá a publicação bimestral a partir do volume 36 (onde a publicação da Conrad foi interrompida). Assim ninguém é prejudicado, nem quem quiser começar a colecionar agora, e nem quem apenas deseja cotinuar a sua coleção). Também segundo o Jbox, a editora Panini afirmou que retomará a publicação dos mangás em pausa no ano que vem.

  Outras notícias relevantes são a publicação do clássico Kimba, o leão branco de Osamu Tezuka pela New Pop, e, só para lembrar, Akuma To Love Song sairá nos Estados Unidos com o nome ” devil and her love song”, pela editora VIZ e terá o primeiro volume lançado em fevereiro. E eu logo logo já vou encomendar o meu.

XOXO

Mallu

No. 6

25 set

Oi!!

  No. 6, junto com Usagi Drop, acabaram sendo as únicas séries da temporada de verão 2011 que eu consegui acompanhar semanalmente (ainda estou atrasada nas outras). Ambas são séries do badalado bloco noitaminA , que me conquistaram desde os primeiros episódios. Como já escrevi sobre Usagi Drop, hoje eu vou falar um pouquinho mais sobre No. 6 (que é baseado em uma série de light noves escrita por Atsuko Asano).

  No. 6 chegou chegando, dando as caras como uma ficção científica que seguiria os moldes clássicos de “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley (para quem é fã, fica aí a dica (ou a heresia)). Porém a grande polêmica da série não foi a falsa utopia da cidade que leva o nome do anime, e sim o fator BL.

  Quem é fã (ou quem não é mais criança) já percebeu logo desde o primeiro episódio: o anime é Yaoi SIM. O que gerou polêmica no começo, foi porque No. 6 dividiu o público em algumas… facções: os que sabiam que era yaoi e adoraram, os que afirmavam que a série não tinha nada de yaoi (e que os meninos ficavam dando as mãozinhas apenas porque eram crianças puras e carinhosas), aqueles que eram indiferentes ao yaoi e assistiam a série porque achavam ela legal, e os homofóbicos que droparam no primeiro episódio.

 Quem me conhece já imagina em qual grupo eu estava… óbviamente o relacionamento dos protagonistas chamou muito a minha atenção, e além do fato de ser uma amante de ficção científica, eu estava adorando a oportunidade de ver uma FICÇÃO CIENTÍFICA COM YAOI.

  E o melhor de tudo, não é fã-service. O relacionamento dos protagonistas é real e é desenvolvido. Ou seja, o casal Nezumi e Shion não é produto dos delírios das fujoshis maldosas, ELES SÃO UM CASAL MESMO!

  Defensoria arco-íris a parte, agora vamos à um resumo da história…

  Após uma guerra que destruiu a maior parte do mundo, restaram apenas algumas cidades. A principal delas é uma utopia onde aparentemente todos são felizes e a vida é perfeita, essa é a No. 6. A cidade é murada, e todos os seus habitantes utilizam pulseiras por onde são constantemente monitorados pelo governo. Tudo na cidade é minimamente controlado, principalmente os livros e o acesso à informações. Sob a fachada harmônica, existe uma verdadeira ditadura. Qualquer cidadão que questionar as idéias do governo, ou mesmo questionar a perfeição da cidade deve ser isolado no Intituto Correcional (de onde praticamente ninguém consegue sair).

  Neste cenário, ainda ignorante sobre o quão vil é a cidade, vive um jovem e promissor estudante chamado Shion. Após um encontro com o fugitivo Nezumi, ele decide que irá ajudá-lo mesmo que para isso tenha de ficar contra o governo. Como punição, ele e sua mãe são deslocados para uma área… menos favorecida (mas ainda dentro dos muros da No. 6). Shion que poderia ocupar um grande cargo devido à sua genialidade, é reduzido à observar parques.

  Em um dia de trabalho, Shion percebe uma morte súbita muito estranha. E após ver seu colega de trabalho padecer do mesmo mal, passa a questionar a cidade. Quando ele estava sendo encaminhado para o Instituto Correcional, é salvo por seu amigo do passado, Nezumi, que o leva para viver fora dos muros da cidade, em um lugar abandonado e sem lei (mas com muito mais liberdade). Morando juntos, eles revelam os respectivos planos para a cidade: Nezumi a odeia e quer destruí-la, enquanto Shion procura meios de salvá-la.

  O anime me prendeu completamente por vários episódios. Eu realmente queria saber o que estava por traz da conspiração da cidade. O que eram as misteriosas abelhas? Quem (ou o que) era Elyurias? Por que Safu era a cobaia ideal? Por que Nezumi odiava tanto a cidade? Quem matou Odete Roitman? Infelizmente o anime me decepcionou com as respostas.

  Eles construíram um alto nível de suspense e mistérios muito interessantes, para respondê-los de forma medíocre. A única coisa bem resolvida do anime foi o relacionamento dos protagonistas.

  É muito comum, em qualquer gênero de história, termos um romance. Seja ele hetero ou homossexual, o romance pode surgir no meio de qualquer história, podendo influênciá-la ou não. O fato de No. 6 ter desenvolvido (e solucionado) tão bem a parte amorosa (e tão mal a questão da ficção científica), me leva a crer que o anime é um romance com ficção científica, e não o contrário. E como eu ansiava pelo contrário, fiquei decepcionada com o final.

  O anime teve uma solução fraca como ficção científica (e bem mal explicada. WTF is Elyurias? Uma deusa? Uma entidade cósmica? O Astro?) e uma solução perfeita como romance.

  Só que eu não posso desqualificar todo o anime, que teve um progresso excelente e me divertiu por semanas, apenas pelo seu final.  Se você procura um anime de romance não muito meloso, assista No. 6 sem medo. E se você for um amante da ficção científica, assista também (mas não alimente suas expectativas quanto à um final épico).

XOXO

Mallu

Pullips de Mahou Shoujo Madoka Magika

18 set

Oi!!^^

  Eu evito falar sobre outros assuntos no blog, mas  na realidade eu tenho muitos outros passatempos além da cultura pop asiática… Apesar de não gostar de misturar isso com o blog, o assunto de hoje faz sentido em ser comentado aqui.

  Um dos meus inúmeros hobbies é colecionar bonecas, com foco em um tipo específico de boneca coreana chamada Pullip. As Pullips são fashion dolls colecionáveis, e um modelo novo delas é lançado a cada mês. Vez ou outra, são lançadas edições especiais de personagens da Disney ou de Animes, e é sobre uma dessas linhas que irei falar no post de hoje.

Tomoe Mami

  Uma linha muito especial de Pullips foi anunciada para novembro desse ano, baseada nas personagens principais do anime Mahou Shoujo Madoka Magika. Por enquanto, haverá uma boneca da Homura, uma da Mami e, claro, uma Madoka.

  Cada uma das bonecas vem com duas roupas: um uniforme escolar e a roupa de garota mágica.

Akemi Homura
 
  Eu achei a Mami e a Homura bem bonitas, mas achei a Madoka meio sem graça… Tenho que dar o braço a torcer que a Mami ficou muito mais bonita que a Homura, embora a Homura seja a minha personagem favorita do anime. Quanto à Madoka, ela eu sempre passo mesmo…

Kaname Madoka

 
  Estranho como as pessoas sempre encontram novas despesas para ficarem ainda mais pobres, ou sonhos de consumo novos que elas não tem dinheiro para bancar… :/ de qualquer forma eu espero algum dia conseguir alguma delas…
 
  O post de hoje foi um pouco diferente do usual… espero que não estranhem muito… Mas as bonecas são bonitinhas, não? ^^
 
XOXO
Mallu

Episódio 5 do dorama de Ouran…

30 ago

Oi!!^^


  Passei aqui rapidinho só para comentar o quinto episódio do dorama de Ouran. Todo mundo sabe que eu comecei a assistir à série contrariada, não gostei do primeiro episódio, mas dei o braço a torcer depois. E hoje, depois do quinto episódio, eu tenho a certeza de que a série é boa mesmo.

  O episódio 5 corresponde ao capítulo da praia (que ganhou um episódio no anime também). Diferente do capítulo anterior da piscina, que eu acho super tosco (e ainda bem que não foi parar no dorama) o capítulo da praia é um dos meus favoritos.

  De forma geral o episódio se manteve fiél ao mangá. Mas sofreu algumas modificações, que deram todo um tom “novelístico”, que eu adorei. A cena do desespero de Kyoya não existe no mangá nem no anime, mas foi  um dos pontos altos do episódio, já que pode ser usada para dar base ao triângulo amoroso mais ofuscado (e o meu predileto) do mangá, Kyoya, Tamaki e Haruhi (porque praticamente só se fala do triângulo Hikaru, Tamaki e Haruhi… além do Hikaru, Kaoru e Haruhi).

  Uma coisa que eu fiquei feliz foi ter feito um link que eu deveria ter feito há muito tempo, entre Ouran e a Rosa de Versalhes, na dramática cena em que Kyoya prensa Haruhi na cama para lhe provar as fragilidades de seu corpo feminino. O mesmo acontece entre Oscar e André, mas eu nunca tinha feito a conexão. E faz todo o sentido, já que Ouran usa e abusa de referências do universo shoujo, e muitas vezes tira sarro delas (o que não é o caso dessa cena).

  Eu também ADOREI a cena do trovão. Essa já era uma das minhas cenas favoritas do mangá, e o dorama não me decepcionou. A cena da provocação entre Haruhi e Tamaki durante o jantar também foi muito divertida, e eu ri demais no final. SM… (ah sim, eles podem usar correntes porque o dorama passa depois da meia noite…).

   Ouran é um dorama que me surpreendeu, e eu não tenho vergonha de admitir que mudei de opinião. Estou acompanhando a série com muito gosto, e vou ficar na torcida para que o dorama ganhe outras temporadas e cubra o mangá inteiro. Espero que continue subindo de nível, ou se mantenha bom, Porque se a qualidade cair, eu não terei vergonha de mudar de opinião mais uma vez sobre a série.

OBS: Reforço a necessidade de refilmagem do dorama na Coréia do Sul, porque apesar de divertido, o aspecto… visual do dorama é uma lástima. E o episódio da praia prova isso de uma vez por todas!

Cadê o SiWon quando a gente precisa dele?

XOXO

Mallu

Ai ai ai Ouran…

31 jul

Oi!!

  Eu já falei bastante mal do dorama de Ouran, né? Mas depois desse episódio 2, até que me convenceu um pouquinho… Pode não ser a adaptação dos meus sonhos, mas dá pra se divertir.

  Vou continuar acompanhando e ver no que dá!

  (Tudo culpa da história do exame médico! Droga, mas também usar um dos meus capítulos favoritos é covardia e manipulação! Huahaha)

XOXO

Mallu

Black Bird 9

27 jul

Oi!!^^

  Ontem eu recebi o meu volume 9 de Black Bird, da VIZ. (Black Bird também sai no Brasil pela editora Panini). Eu decidi fazer alguns comentários sobre esse volume, então o texto terá spoilers.

  Todo mundo sabe que eu gosto muito dessa série (apesar de todos os problemas que ela tem), e eu comentei até o volume 8 nesse post aqui. Depois do final épico do volume 8, quando Misao e Kyo finalmente fazem amor (e eu achei a cena muito bonita) eu estava esperando ansiosamente pelo volume 9.

  Eu gostei do começo do volume. Tivemos uma cena bastante terna, da manhã seguinte à primeira noite deles, e o surgimento de novos conflitos após a perda da virgindade da “Senka Maiden”. Mesmo não sendo mais virgem, Misao ainda possui os mesmos poderes de antes, o que faz com que ela ainda seja alvo de ataques. Temos também um clã (que eu não tenho certeza qual seja, se alguém lembrar, me avise) discutindo que ainda tem uma chance de obter a Senka, afinal eles possuem o Senka Roku completo (e o final não parece ser nada bom para a nossa heroína). Temos também problemas internos no clã dos tengs, já que todos querem o sangue milagroso da esposa de seu líder.

  Além de tudo, começam as discussões sobre o amor que Kyo sente por Misao, e o quanto isso os coloca em risco. Entra também o previsível (e chatérrimo) conflito do “não podemos nos tocar mais”, além de uma interessante trama que está sendo arquitetada por um clã ainda desconhecido, que utiliza humanos sob possessão para atacarem a Senka, gerando uma situação “com reféns humanos” que está torturando a nossa protagonista.

  Apesar de todo esse desenvolvimento promissor, eu acho que o volume 9 caiu de nível com relação aos volumes anteriores simplesmente pela imaturidade da autora. Mesmo com o andamento da história interessante, ela conseguiu estragar esse volume deixando a personalidade dos protagonistas totalmente doentia. Depois de uma cena de amor linda no final do volume 8, temos um Kyo que afasta a mão de Misao (sob a desculpa de que ele não quer ser tentado por ela), e uma Misao que chora NO ONIBUS porque seu amado não quer mais tocá-la (ela entende que ele não pode ficar com ela novamente, mas ela age como se ele não quisesse fazer, e se tortura por isso).

  Como se não bastasse, toda essa tensão da falta de toque entre os protagonistas (que contagia os leitores acostumados com pelo menos um beijo por capítulo) culmina em uma cena terrível no último capítulo, onde Kyo ESTUPRA Misao. Sim, ele estava bancando o vilão, em uma atitude autruísta de ficar com toda a responsabilidade sobre as vidas humanas destruídas, porque ele é o demônio malvadao e bla bla bla. Mas na verdade, essa cena serviu apenas para saciar a personalidade da autora, que desde os capítulos iniciais estava se rasgando de vontade de inserir um estupro na história. E precisava? Mesmo? Não consegui ver nenhuma função real para essa cena, foi apenas uma tentativa de fanservice que funcionou como um desserviço para mim.

  A cena não foi violenta (como se imaginaria que fosse um estupro), não foi tórrida como a explosão de paixão que eu estava esperando depois da bobagem do “não nos tocaremos mais”, não foi terna e romântica, ou seja, não foi nada além de desnecessária. O pior de tudo foi ter que aguentar o protagonista dizendo “eu estou transando com você contra a sua vontade, porque você não foge e parece tão feliz?”. Kyo falaria isso? E outra, como assim contra a vontade dela se Misao passou o volume inteiro chorando e implorando para se unir à Kyo novamente?

  Em resumo, não gostei. Mas não posso dizer que fiquei surpresa. Acho que a Kanoko Sakurakoji estava só esperando seu editor ir tomar um café para fazer uma cena dessas… Gostaria apenas que ela se redimisse e desenvolvesse bem as tramas iniciadas nesse capítulo, e que cenas inúteis assim não se repitam (duvido né?).

XOXO

Mallu

Feliz dia do Homem! Atrasado…

16 jul

Oi!! ^^

  Vocês sabiam que ontem (dia 15 de Julho) foi comemorado o Dia do Homem no Brasil? Pois é, nem eu.  Mas quando eu descobri, eu soube que não poderia deixar essa data passar em branco!

  Então, eu resolvi fazer uma lista com os 5 homens mais desejáveis dos mangás/animes e doramas! Então, meninas se preparem, porque no dia do homem o presente é de vocês. E meninos, por favor, assistam as séries em questão e escolham qualquer um dos candidatos para tentar imitar (se o físico não permite, se inspirem nos bons modos dos moços). As meninas agradecem!

Mangás e animes

Tsukasa Domyouji (Hana Yori Dango)

  O líder do F4. O menino mais lindo e mais rico do país. Um indivíduo orgulhoso e egoísta. Podem falar o que quiser, mas não existe nada mais lindo do que ver esse mimadão do Domyouji totalmente rendido pelo seu amor pela Tsukushi. Além de que ele prova que pode ir até as últimas consequências para proteger e ficar ao lado da mulher que ama.

Mizuno Yunoshin (Ooku)

  Além de ser um samurai lindo e de ser um dos poucos homens que não sucumbiram à terrível e misteriosa doença, ele consegue ser o homem mais homem de todos. Ele está sempre disposto a servir às mulheres “semeando” felicidade entre elas sem cobrar nada por isso (quem conhece a história entendeu…), foi um dos poucos homens do harém que não se submeteu a ser a “menininha da rodada” só porque era novato, e é tão honrado que está disposto a morrer para cumprir com seus deveres. O homem perfeito.

Tenjo Night (Zettai Kareshi)

  Mesmo não sendo de verdade, ele é o namorado que toda menina pediu para Deus. Ele é atencioso, protetor, carinhoso, lindo, forte, um sonho! Ou melhor, ele pode ser programado para ser o que você quiser.

Ro Ensei (Saiunkoku Monogatari)

  Entre todos os homens incríveis do harém que é Saiunkoku Monogatari, eu escolhi o meu preferido para colocar na lista. Ensei é uma graça. Ele consegue ser extremamente gentil em toda a sua brutalidade e é, como a própria Shuurei diz, um “raio de luz” (ou algo assim). Ele consegue ensolarar qualquer lugar e deixar qualquer um feliz. Ele é lindo, viril e extremamente leal.

André Grandier (A Rosa de Versalhes)

  O homem dos sonhos de 10 em cada 10 leitoras/espectadoras da Rosa de Versalhes. Ele reúne todas as qualidades possíveis. Ele é lindo e consegue ser o seu melhor amigo de infância, o seu servo, o seu marido, o seu guarda-costas, o seu companheiro de bar, o seu aliado de batalhas… Enfim, ele é leal à você até a morte e jamais abandona a sua amada em qualquer momento que ela precise dele (mesmo quando ela não precisa, ele sempre está lá em alerta). Ele viverá e morrerá ao seu lado, sem jamais perceber que existem outras mulheres no mundo, afinal a amada é a única para ele. E você não sabia disso? Ele ficou totalmente cego pelo seu amor… (piadinha infeliz, não resisti :/ )

Dramas

Chiaki Shinichi (Nodame Cantabile)

  Ele é lindo, limpinho e cheiroso. Ele lava, passa, cozinha e limpa a casa (a sua e a dele). E não importa se você for imunda e louca, ele eventualmente vai se apaixonar por você porque você é “cheia de personalidade” e porque ele acredita completamente no seu potencial. Ele tem uma profissão maravilhosa e digníssima, e além de tudo vai ser famoso como maestro. É excelente pianista e violinista, e vai alegrar eternamente a sua vida com música. (Eu sei que tem mangá, mas o Chiaki do dorama é tão mais legal…)

Hyun Jin Hyeon (My Name is Kim Sam Soon)

 

  O chefe dos sonhos de todo mundo. Mesmo com uma pentelha no passado, ele vai ignorar Deus e o mundo para ficar com você. Ele toca piano, usa camisas coloridas lindas (nada a ver com o Restart…) e sempre vai fazer você rir. Falei que ele é lindo, divertido e rico?

Sung Min Woo (Oh! My Lady)

  Ele é uma estrela capaz de assumir para a imprensa que está namorando você, anônima fora dos padrões asiáticos de beleza e idade aceitáveis (eu acho a ajumma bem bonita…). Ele sobrevive à escândalos e depois que ele amadurecer, você também vai querer ele de pai para os seus filhos…

Han Tae Woong/ Han Deuk Gu (The Snow Queen)

  Apesar de traumas terríveis do passado que o fizeram mudar de identidade, ele é adorável sendo qualquer pessoa. Ele é um gênio da matemática e luta boxe (ou seja, ele pode ser útil de várias maneiras). Ele está disposto a servir você lealmente, e mesmo após a sua morte ele vai te amar para sempre. E como ele vai sofrer por ter perdido você…

Kim Joo Won (Secret Garden)

  Um milionário que se apaixona loucamente por você, mesmo que você seja bem pobre. Ele contraria à todos para ficar ao seu lado e é um namorado extremamente carinhoso e cuidadoso (depois da fase inicial meio revoltada, né?). Ele não liga de perder metade do seu patrimônio por ter se casado com você, e ele ainda consegue ser rico assim… e ele entende mais do que ninguém como é estar no seu lugar. Falo sério!

  Ai Mallu sua chata, em uma lista de 5 o Hyun Bin aparece 3 vezes! Isso não tá justo! Claro que tá! O blog é meu, a lista é minha e eu classifico quem eu quiser… ainda que eu dei chance para outros 2, podia ter colocado o Hyun 5 vezes! Muahahahah

  Meninoooos leitores, feliz dia do homem atrasado, seus lindos!

XOXO

Mallu

Mahou Shoujo Madoka Magika

4 jul

OI!!^^

  E ai pessoal, o que começaram a ver nessas férias? Já estão se descabelando pelos novos animes da temporada de verão? Que coisa bonita o desespero da nação otaku! Viram os épisódios finais da temporada de primavera? Mas antes de falar na nova temporada, não é bacana dar uma conferida na temporada de inverno e ver se não deixaram passar nada? Por exemplo, o melhor anime da década? Vocês assistiram Mahou Shoujo Madoka Magika?

  Eu demorei para assisti à Mahou Shoujo Madoka Magika pelo simples fato de ser UM MAHOOU SHOUJO. Falando sinceramente, eu não sou uma grande fã de Mahou Shoujo… Mas o anime de Madoka gerou um tumulto tão grande na internet que eu não resisti e fui conferir a série. Ainda bem.

  O anime tem 12 episódios. E eu não consegui parar de assitir enquanto não acabou. Mas não pensem que é mais uma daquelas séries loucamente viciantes, somente por serem viciantes (oi Black Bird). É impossível parar de assitir Madoka porque tem uma história original, extremamente bem contada! Há muito tempo que eu não assistia um anime novo assim (ahã, a indústria está bem morta sim! Ou se estava, ressuscitou com Madoka!).

  Mahou Shoujo Madoka Magica não é um mahou shoujo comum. Nada em Madoka é comum. O anime é uma desconstrução total do seu próprio gênero que, creio eu, não será o mesmo depois de Madoka. Eu não vou dar spoilers dessa vez. Porque eu quero que todo mundo assita Madoka e se surpreenda na mesma proporção em que eu me surpreendi.

  Logo nos primeiros segundos do anime, estamos dentro de um sonho (é um sonho comum, um sonho profético ou uma memória?). Depois somos apresentados para a situação padrão: menininhas estudantes bonitinhas, entram em contato com seres estranhos e “por acidente” descobrem a existência de magia. Temos tudo o que se tem direito em um mahou shoujo, até um bichinho pseudo-fofo. Mas aí que começa a ficar estranho…

  O bichinho que deveria ser “A” coisa fofa da história é apavorante. Não dá para ter a mínima idéia do que ele seja. Além de que ele não mexe a boca para falar, e sua cara está permanentemente congelada em uma expressão… inexpressiva. esse é o Kyubey (e parabéns se você, leitor corajoso, não ficou com medo dele em nenhum momento).

  Kyubey faz então uma oferta à nossa protagonista Madoka e a sua amiga Sayaka (girl power): elas podem se tornar garotas mágicas. Para isso elas deveriam firmar um contrato com ele. Elas ganhariam poderes mágicos e teriam que lutar contra as bruxas e, em troca, teriam um desejo realizado. Não importa qual desejo fosse esse, mesmo se fosse um milagre ele seria realizado.

  E é a partir daí que começa um dos grandes questionamentos da série (um dos, porque Madoka é uma coisa linda maravilhosa e revolucionária). O que você faria por um desejo? Você arriscaria a sua vida lutando contra criaturas extremamente perigosas em troca de um único milagre? E quando eu digo extremamente perigosas, eu estou falando sério! Risco de vida mesmo! Esqueça tudo o que você se lembra sobre os vilões de mahou shoujo… Lembra das fofíssimas Clow Cards?? (ok, eu sei que elas não eram exatamente as vilãs, mas vocês entenderam).

  Eu não vou falar mais, porque não quero estragar a diversão de ninguém. Só saibam que Mahou Shoujo Madoka Magika é um anime diferente de tudo o que você já viu. Parece que o único clichê que eles não conseguiram destruir foi o de a protagonista ser a personagem mais sem sal do anime…

  Eu só preciso ressaltar alguns pontos aleatórios (ou seja, a parte séria do post para por aqui)…

  Akemi Homura, essa história é sua. Você é linda e diva, e a Mallu te ama (em qualquer momento do seu loop temporal)

  Mami, você é um saco. Mas as suas armas são SENSACIONAIS! Com certeza a coisa mais legal, linda e poder do anime.

 

  Eu amei os cenários ficção científica high tech, e amei muito a estética utilizada dentro do labirinto das bruxas. Mas o que eu mais amei foi O ENCERRAMENTO SER UMA MÚSICA DAS LINDAS DO KALAFINA!

  Segue o encerramento incrível, com a música Magia, do Kalafina.

  Eu não gostei da abertura. Eu entendi que aquele clima shoujo ai, além de toda aquela fofurice eram só pra causar mesmo, já que não tinham nada a ver com a série. Mas mesmo assim eu não gostei.

  E vale lembrar ao povo retardado que fica fazendo fanarts estranhas que MAHOU SHOUJO MADOKA MAGIKA NÃO É SHOUJO AI! Não existe nenhum relacionamento shoujo ai no anime! As meninas são amigas!

  Lembrando que eu não tenho nenhum problema com fanarts (na verdade amo, tanto que no blog eu criei uma página para expor fanarts dos leitores). Não tenho nenhum tipo de preconceito contra animes shoujo ai (na verdade tem muitos que eu gosto bastante, como o brilhante “Oniisama e…”). Eu só tenho problemas com gente que vê o que não existe. Ou que perde tempo inventando coisas sobre Madoka Magika, que é um anime perfeito e que dá margem para muitas discussões reais, logo não vale a pena criar coisas que não estavam ali (isso porque eu sou fujoshi e amo encontrar margem para um “romance proibido” nas histórias. Mas Madoka não deixa espaço para isso).

Mami (a mimimi); Homura (diva, a "senhora do destino"); Madoka (a protagonista sem sal); Sayaka (cheia de atitudeno começo, que virou mimimi depois); Kyoko (a segunda melhor personagem do anime)

  E para quem quiser ver análises melhores do que a minha sobre essa obra incível, eu recomendo a do Gyabbo! e o vídeo que os meninos do Video Quest fizeram sobre a série (entrem no canal deles no You Tube).

  Com certeza Mahou Shoujo Madoka Magika será uma obra lembrada durante muito tempo e, na minha humilde opinião, se consagrará como um dos maiores animes já feitos.

 XOXO

Mallu

Propaganda do dorama de OURAN

27 jun

Oi!!^^

  Gente, pra quem já suspeitava da possível qualidade duvidosa do dorama de Ouran, acho que depois dessa vai dar pra ter certeza, né?

  Que sala pobre é essa? Cade a Terceira sala de Música em toda a sua ostentação e esplendor? Além de mudar os uniformes, eles vão empobrecer os cenários também?? A graça de Ouran estava no exagero e no irreal, na impossibilidade de muitas coisas, no sonho mesmo… isso aí parece a sala de alguma vó estranha.

  Sem falar que com essa cara desse Tono, eu iria sair correndo O.O

  Estou em luto por causa da avacalhação com a minha série favorita T.T Mas eu vou ter que assistir assim mesmo né… fã é fã!

  Ví o comercial no Shoujo Café.

XOXO

Mallu