Arquivo | Novidades RSS feed for this section

Primeiro teaser de Helter Skelter

28 fev

Oi!!^^

Eu vi lá no Shoujo Café que saiu o primeiro teaser do filme de Helter Skelter ou rerto iskerto em japonês (sim, eu sou cruel com a pronúncia) XD. Eu estava muito ansiosa por esse filme… até esse grito forçadão que a menina dá no trailer ¬¬”  .Já vi que assistirei mais por curiosidade mórbida do que que qualquer outra coisa. Eu não estou botando muita fé no filme, mas se ele der certo será uma grata surpresa!

Para quem não conhece, o filme é baseado no mangá homônimo de Kyoko Okazaki, que conta a história de uma modelo que trata a sua aparência de forma doentia, e na busca da perfeição se submete à diversas cirurgias plásticas que com o passar do tempo vão desfigurando a moça (tipo que nem a Gretchen). O mangá é extremamente pesado e discute de forma muito intensa as imposições da ditadura da beleza e o impacto que essas exigências tem na vida de uma pessoa (ainda mais uma modelo). Se o filme for uma adaptação boa, não vai ser nada light…

Não estou botando muita fé, mas com certeza esse é um flme que eu não vou perder!

xoxo

Mallu

Fanarts novas!

9 jan

Oi!!^^

Pra começar o ano bem, temos uma montão de fanarts novas! Dessa vez recebemos vários desenhos novos do nosso desenhista oficial do Yo Nihon, o Eidy Nakashima (que com certeza vai ser profissional), e um do desenhista estreante e top-comentarista Fabricio Yukio! Não deixem de ver! Acesse a nossa página de fanarts para ver todos os desenhos que recebemos!

Sasuke por Eidy Nakashima

 

Eu quero aproveitar esse post e pedir as minhas sinceras desculpas para os meninos, que mandaram esses desenhos há eras… O e-mail do blog estava com problemas, e eu so recebi os desenhos HOJE! Sinto muito mesmo! E para você, leitor, que também desenha, pode enviar a sua fanart para o e-mail (que agora funciona normalmente, ou pelo menos eu espero): yonihonn@gmail.com (é com dois “n” mesmo) e nós a publicaremos na nossa página (contanto que ela não apresente conteúdo adulto).

XOXO

Mallu

Comentando notícias velhas…

18 dez

Oi!!

  O que mais deu o que falar esses dias no mundo Otaku foram os novos lançamentos da Panini. Não é novidade e todo mundo já ficou sabendo, eu sei. Mas só para tirar o elefante do meio da sala, eu acho importante comentar sobre isso.

  A Panini provocou um grande tumulto essa semana ao anunciar a sua nova leva de mangás para 2012. Não duvidaria se algum fã mais fervoroso tivesse sucumbido à um ataque cardíaco, porque as novidades não são poucas! Depois de um ano morno, com lançamentos meio desconhecidos e poucas coisas empolgantes, a Panini prometeu para 2012 nada mais nada menos que ONE PIECE, DRAGON BALL, MONSTER, KUROSHITSUJI (BLACK BUTLER) E 20TH CENTURY BOYS!!!!! (Além de um shoujo chamado Mad Love Chase que eu nunca ouvi falar).

  Temos aí 3 shounens de vendagens absurdas, com One Piece (Eiichiro Oda), Dragon Ball (Akira Toriyama) e Kuroshitsuji (Yana Toboso). A questão é que, Dragon Ball já foi publicado aqui quantas vezes mesmo? Enfim. Tenho certeza que vai ter muita gente comprando de novo. Quando à One Piece, eu acho correto retomar a edição antiga. Os fãs mercem isso, e eu estou torcendo para que dê tudo certo dessa vez. E Kuroshitsuji é aquele tipo de shounen que faz um sucesso absurdo entre o público feminino. Fujoshis gonna love.

  O que fez a minha alegria mesmo foi a vinda do seinen 20th Century Boys (Naoki Urasawa). É o meu seinen favorito, e eu vou ficar muito feliz em poder ter a edição nacional dele. Espero que a editora faça um trabalho bonito, à altura dessa obra incrível. Monster (Naoki Urasawa), outro seinen e outro filho abandonado da Conrad finalmente será concluído no Brasil, e eu também planejo acompanhar a obra.

  Quanto à Mad Love Chase (Takashima Kazusa), eu dei uma pesquisadinha e parece ser uma série de romance com ares sobrenaturais. É provável que eu compre para conferir…

  Das séries anunciadas, eu pretendo comprar os seinens e o shoujo… e eu me comportei muito bem até agora, mas a fujoshi dentro de mim está começando a explodir…

  FINALMENTE KUROSHITSUJI NO BRASIL! MEU DEUS! EU NÃO VOU AGUENTAR ESPERAR! É MUITA EMOÇÃO BRASIL!

  Quem acompanha o blog sabe que eu sou uma fã incondicional do anime de Kuroshitsuji, e estou muito ansiosa em poder ler o mangá! Tomara que seja excelente que nem o anime! (Eu fiz a resenha do anime aqui, caso alguém se interesse em ler). O Patrício escreveu as resenhas de One Piece e Dragon Ball também.

  De acordo com o JBox, a publicação de One Piece será mensal a partir do volume 1, e ao mesmo tempo acontecerá a publicação bimestral a partir do volume 36 (onde a publicação da Conrad foi interrompida). Assim ninguém é prejudicado, nem quem quiser começar a colecionar agora, e nem quem apenas deseja cotinuar a sua coleção). Também segundo o Jbox, a editora Panini afirmou que retomará a publicação dos mangás em pausa no ano que vem.

  Outras notícias relevantes são a publicação do clássico Kimba, o leão branco de Osamu Tezuka pela New Pop, e, só para lembrar, Akuma To Love Song sairá nos Estados Unidos com o nome ” devil and her love song”, pela editora VIZ e terá o primeiro volume lançado em fevereiro. E eu logo logo já vou encomendar o meu.

XOXO

Mallu

Pullips de Mahou Shoujo Madoka Magika

18 set

Oi!!^^

  Eu evito falar sobre outros assuntos no blog, mas  na realidade eu tenho muitos outros passatempos além da cultura pop asiática… Apesar de não gostar de misturar isso com o blog, o assunto de hoje faz sentido em ser comentado aqui.

  Um dos meus inúmeros hobbies é colecionar bonecas, com foco em um tipo específico de boneca coreana chamada Pullip. As Pullips são fashion dolls colecionáveis, e um modelo novo delas é lançado a cada mês. Vez ou outra, são lançadas edições especiais de personagens da Disney ou de Animes, e é sobre uma dessas linhas que irei falar no post de hoje.

Tomoe Mami

  Uma linha muito especial de Pullips foi anunciada para novembro desse ano, baseada nas personagens principais do anime Mahou Shoujo Madoka Magika. Por enquanto, haverá uma boneca da Homura, uma da Mami e, claro, uma Madoka.

  Cada uma das bonecas vem com duas roupas: um uniforme escolar e a roupa de garota mágica.

Akemi Homura
 
  Eu achei a Mami e a Homura bem bonitas, mas achei a Madoka meio sem graça… Tenho que dar o braço a torcer que a Mami ficou muito mais bonita que a Homura, embora a Homura seja a minha personagem favorita do anime. Quanto à Madoka, ela eu sempre passo mesmo…

Kaname Madoka

 
  Estranho como as pessoas sempre encontram novas despesas para ficarem ainda mais pobres, ou sonhos de consumo novos que elas não tem dinheiro para bancar… :/ de qualquer forma eu espero algum dia conseguir alguma delas…
 
  O post de hoje foi um pouco diferente do usual… espero que não estranhem muito… Mas as bonecas são bonitinhas, não? ^^
 
XOXO
Mallu

Black Bird 9

27 jul

Oi!!^^

  Ontem eu recebi o meu volume 9 de Black Bird, da VIZ. (Black Bird também sai no Brasil pela editora Panini). Eu decidi fazer alguns comentários sobre esse volume, então o texto terá spoilers.

  Todo mundo sabe que eu gosto muito dessa série (apesar de todos os problemas que ela tem), e eu comentei até o volume 8 nesse post aqui. Depois do final épico do volume 8, quando Misao e Kyo finalmente fazem amor (e eu achei a cena muito bonita) eu estava esperando ansiosamente pelo volume 9.

  Eu gostei do começo do volume. Tivemos uma cena bastante terna, da manhã seguinte à primeira noite deles, e o surgimento de novos conflitos após a perda da virgindade da “Senka Maiden”. Mesmo não sendo mais virgem, Misao ainda possui os mesmos poderes de antes, o que faz com que ela ainda seja alvo de ataques. Temos também um clã (que eu não tenho certeza qual seja, se alguém lembrar, me avise) discutindo que ainda tem uma chance de obter a Senka, afinal eles possuem o Senka Roku completo (e o final não parece ser nada bom para a nossa heroína). Temos também problemas internos no clã dos tengs, já que todos querem o sangue milagroso da esposa de seu líder.

  Além de tudo, começam as discussões sobre o amor que Kyo sente por Misao, e o quanto isso os coloca em risco. Entra também o previsível (e chatérrimo) conflito do “não podemos nos tocar mais”, além de uma interessante trama que está sendo arquitetada por um clã ainda desconhecido, que utiliza humanos sob possessão para atacarem a Senka, gerando uma situação “com reféns humanos” que está torturando a nossa protagonista.

  Apesar de todo esse desenvolvimento promissor, eu acho que o volume 9 caiu de nível com relação aos volumes anteriores simplesmente pela imaturidade da autora. Mesmo com o andamento da história interessante, ela conseguiu estragar esse volume deixando a personalidade dos protagonistas totalmente doentia. Depois de uma cena de amor linda no final do volume 8, temos um Kyo que afasta a mão de Misao (sob a desculpa de que ele não quer ser tentado por ela), e uma Misao que chora NO ONIBUS porque seu amado não quer mais tocá-la (ela entende que ele não pode ficar com ela novamente, mas ela age como se ele não quisesse fazer, e se tortura por isso).

  Como se não bastasse, toda essa tensão da falta de toque entre os protagonistas (que contagia os leitores acostumados com pelo menos um beijo por capítulo) culmina em uma cena terrível no último capítulo, onde Kyo ESTUPRA Misao. Sim, ele estava bancando o vilão, em uma atitude autruísta de ficar com toda a responsabilidade sobre as vidas humanas destruídas, porque ele é o demônio malvadao e bla bla bla. Mas na verdade, essa cena serviu apenas para saciar a personalidade da autora, que desde os capítulos iniciais estava se rasgando de vontade de inserir um estupro na história. E precisava? Mesmo? Não consegui ver nenhuma função real para essa cena, foi apenas uma tentativa de fanservice que funcionou como um desserviço para mim.

  A cena não foi violenta (como se imaginaria que fosse um estupro), não foi tórrida como a explosão de paixão que eu estava esperando depois da bobagem do “não nos tocaremos mais”, não foi terna e romântica, ou seja, não foi nada além de desnecessária. O pior de tudo foi ter que aguentar o protagonista dizendo “eu estou transando com você contra a sua vontade, porque você não foge e parece tão feliz?”. Kyo falaria isso? E outra, como assim contra a vontade dela se Misao passou o volume inteiro chorando e implorando para se unir à Kyo novamente?

  Em resumo, não gostei. Mas não posso dizer que fiquei surpresa. Acho que a Kanoko Sakurakoji estava só esperando seu editor ir tomar um café para fazer uma cena dessas… Gostaria apenas que ela se redimisse e desenvolvesse bem as tramas iniciadas nesse capítulo, e que cenas inúteis assim não se repitam (duvido né?).

XOXO

Mallu

Primeiros Episódios: dorama de OURAN

25 jul

Oi!!^^

  Hoje eu assisti ao primeiro episódio do tão mal falado dorama de OURAN High School Host Club.

   Confesso que já comecei a assistir cheia de preconceitos e sem grandes expectativas. Ainda bem, porque se eu estivesse esperando alguma coisa do mesmo nível do mangá e do anime, eu teria me decepcionado bastante. Mas como já estava esperando o pior, até que consegui me divertir um pouquinho…

  Nesse primeiro episódio, tivemos coisas razoáveis, coisas muito ruins e momentos desastrosos. Outras coisas só me deixaram confusa, eu ainda não sei o que pensar sobre a aura negra em volta do Nekozawa-sempai, por exemplo…

  Eu fiquei realmente chateada por eles terem destruído a cena épica em que Haruhi entra na terceira sala de música pela primeira vez. Ao invés dela ter sido surpreendida pelos meninos em sua clássica formação, no marcante momento “Irasshaimase!!!”, a menina ficou simplesmente contemplando a beleza da sala e o quanto tudo aquilo deveria custar. Haruhi não liga para isso! Ela é totalmente desligada! Depois dessa cena descaracterizada, os meninos que, no dorama, sentam DE LADO para a porta ao invés DE FENTE como deveria ser, dão as boas vindas à ela.

  E é óbvio que eu me assustei com o Tamaki. Gente, esse menino parece um macaco! (Com todo respeito aos macacos). Sem falar que ele não entrou no espírito do personagem. Ou melhor, nenhum dos atores assumiu verdadeiramente a identidade dos personagens, ao contrário dos dubladores do anime que fizeram um trabalho excepcional. Não adianta, por exemplo, o Honey carregar um coelhinho. Sua voz não transmite em nada a atmosfera kawaii do personagem, que é tão marcante no anime.

  Outra coisa que me irritou foi o fato de que a atriz não parecer de FORMA ALGUMA com um menino. Tudo bem que a história toda de OURAN é absurda, mas eles poderiam ter caprichado mais no dorama… principalmente no início, antes da transformação de Haruhi. Mesmo com os óculos, o cabelo levemente bagunçado, estava tudo limpo demais. A Haruhi no mangá parecia uma mendiga.

  Eu já havia dito que não gostei da mudança dos uniformes (que no original são azuis, e no dorama são pretos). Mas o uniforme das meninas está uma desastre ainda maior! Dá para notar uma tentativa frustrada de fidelidade com o original no modelo do vestido. Mas ao invés do vestido bufante amarelo com meias brancas, temos vestidos HORRÍVEIS brancos com meias pretas que mais parecem calças.

  E para quem achava que não poderia ficar pior, esse episódio também mostrou a cena mais forçada que eu já vi na vida, quando Hani pula nos braços de Haruhi; e o momento mais trágico da dramaturgia mundial, com o coração cor-de-rosa do Tamaki pulsando. Eu senti uma vergonha alheia tão grande nesse momento, que se eu estivesse assistindo junto de alguém eu provavelmente teria me suicidado.

  Em resumo, eu não gostei do dorama. Porque ele falha miserávelmente na sua proposta como dorama de humor: fazer rir. O episódio não foi engraçado, e eu estou duvidando que a série irá ficar muito melhor que isso (no máximo vai conseguir ser levemente divertida, nunca extremamente engraçada, como é  caso do mangá e do anime). O humor está pastelão demais, eu realmente não consegui rir. Mas se você for uma pessoa realmente maldosa como eu, garanto que a cena em que o suposto galã tira a camisa e exibe o seu sensual físico de lagartixa irá provocar no mínimo uma gargalhada.

  Mas eu consegui sorrir levemente na parte em que o Tamaki chora com o lenço na cara pra me poupar daquele rosto horrível do ator, e quando Mori sai correndo ao fundo com Hani (com seu bracinho apontando para a frente) nos ombros, porque eu senti uma brisa de nostalgia que me lembrou que aquilo talvez fosse parecido com OURAN…

  Eu gostei bastante do final do episódio, achei muito meigo. Gostei da modificação da cena da fonte, com todos os amigos indo procurar a carteira juntos, foi uma cena bonita… Talvez por causa dessa cena que eu decidi não abandonar a série.

  Vou acompanhar esse dorama, e fingir que não tem nenhuma relação com o meu mangá favorito…

XOXO

Mallu

 

Atualização: Estou acompanhando a série, e adorando! Como o título explicita, essa análise foi apenas do primeiro episódio.  Eu já comecei a mudar de opinião sobre a série no segundo episódio, e a partir daí foi só amor. Também escrevi resenhas/comentários dos episódios 5 e 9.

Primeiros episódios: Dantalian no Shoka

17 jul

Oi!!^^

  Ontem eu assiti ao primeiro episódio da última série que eu pretendo acompanhar dessa temporada, Dantalian no Shoka (ou a Biblioteca Mística de Dantalian).

(Só eu fiquei apavorada com essa tia que aparece no encerramento? Ou melhor, com esse encerramento inteiro?)

  O episódio começou de uma forma interessante. Após a morte de seu avô bibliomaníaco, Huey se dirige à casa do falescido. Chegando lá, ele vê diversas estantes vazias. Intrigado com isso, descobre uma passagem secreta que leva à um tipo de porão, onde ele encontra todos os livros e uma menininha sentada.

  Antes de morrer, o avô de Huey desejava que ele herdasse a casa e tudo o que ela contém, e que ele fosse o responsável pela tal Biblioteca Mística (e que cuidasse da tal menininha, a Dalin).

  Já no primeiro episódio, descobrimos que Dantalian é o nome do demônio do conhecimento, que possúi inúmeros livros. A decepção de Huey é ver que o acervo de seu avô era aparentemente comum afinal, ele estava esperando pela bibliotéca mística de um demônio…

  Mas ahá! Crimes misteriosos acontecem! E aparecem uns animais estilo Jumanji! E tudo parece estar relacionado à um livro misterioso que foi roubado da casa do velhinho!

  E então Dalin conta toda a história triste sobre os Livros Fantasma e as bênçãos e maldições que eles carregam. E o porque eles devem continuar seguros na Biblioteca Mística de Datalian.

    Como todo mundo já imagina, Huey é o guardião da chave da tal biblioteca e faz um contrato com Dalin para ser o humano responsável de Dantalian no Shoka. E pra selar o livro ele conta uma história triste mimimi que encheu o saco.

  (Eu só não sei onde eles arrumaram tempo para conversar sobre coisas tão sérias com um dragão solto na sala…)

  Eu gostei bastante do visual e do clima da série. A trilha sonora combina muito bem tabém. Eu pretendo continuar acompanhando a série, e vamos ver no que ela dá… espero mais ação quero ver sangue, suor e lágrimas.

XOXO

Mallu

Primeiros episódios: Kami-Sama no memochou

11 jul

Oi!!^^
   Seguindo com os comentários sobre os primeiros episódios de alguns animes que estreiaram esse mês, hoje eu vou falar de Kami-Sama no memochou.

  Eu estava cheia de preconceitos com esse anime, mas posso dizer que, até agora, foi uma das estréias que mais me empolgou (junto com Usagi Drop). Apesar do fanservice exagerado e toda a questão loli que me incomoda um pouco, o primeiro episódio foi excelente.

  Kami-Sama no memochou conta a história de um grupo de NEETs que se reúnem como detetives para resolverem casos. A cabeça do grupo é a hikikomori Alice, uma lolitinha que fica o dia inteiro de pijamas e da sua cama (rodeada por diversas telas de computador) tem as grandes idéias para conduzir a investigação. Alice dá as ordens, e o seu grupo de detetives NEETs executam. A menina também é a responsável pela conclusão do caso (pelo menos nesse episódio).

  Eu estava com receio de assitir essa série porque só de ver o trailer, a carga loli me irritou. E eu não estava errada! O anime é cheio de fanservice, e parece que vai usar e abusar do complexo de lolita até o final (eu sou uma pessoa que tolera um grau de MOE e de fanservice até um certo ponto. Quando cai no loli-com eu não gosto MESMO) . Mas a história é tão interessante, e o episódio foi tão bom, que eu já estou ansiosa pelo próximo!

  O anime tem uma história ótima, e um grupo de personagens bem diferentes entre si, e cada um é interessante a sua forma. Eu gostei muito!  Tomara que nos próximos episódios tenhamos mais casos interessantes (e envolvendo temas polêmicos) para esse grupo de NEETs solucionar!

XOXO

Mallu

Primeiros Episódios: Ikoku Meiro no Croisée

9 jul

Oi!!^^

  Vocês perceberam? Eu criei uma nova categoria no blog, a de “Primeiros Episódios”, onde eu irei comentar, obviamente, sobre o primeiro episódio das séries que eu assistir. Antes eu falei sobre Blood C e Usagi Drop. Agora eu vou falar sobre Ikoku Meiro no Croisée.

  Eu já tinha falado antes sobre esse anime, e estava muito empolgada com ele. Confesso que o primeiro episódio não foi tuuudo isso que eu esperava…

  Eu gostei muito do cenário, dos objetos… a primeira cena foi linda, com a japonesinha andando pelas ruas de Paris batendo os seus tamanquinhos, e causando tumulto em pleno século 19 com suas roupas orientais. Mas apesar de toda a beleza do anime, eu sinto que tem um clima meio estranho, como se estivesse faltando alguma coisa que eu não sei o que é…

  O que me irritou muito foi o fato de dizerem que a Yune não sabia o idoma do local, mas ela sempre respondia nas conversas! Então eu fiquei um pouco perdida sobre o quanto Yune sabia de francês, e o que ela realmente entendia ou não ( o fato deles falarem em japonês o tempo todo também não ajuda muito(sim, eu sei que temos que abstrair e fingir que é francês), e a desculpa de “ela não entende, mas sente a atmosfera” também não colou!). Já que ela não sabe o idioma local, só deveria acenar com a cabeça!

  O mais irônico foi o fato de Claude dar um livro para ela aprender francês, depois deles já terem conversado. Ou seja, se ele não fala japonês, e ela ainda não tinha aprendido francês, eles estavam conversando como? Em Na’vi??

  Pra piorar, quando o idiota percebe que ela estava respondendo quando ele falava com ela, ele pergunte “Oh, então você me entendia?” Sério, a menina precisava fingir que não sabia o idoma? E o povo precisava acreditar na ignorância dela, quando a farsa era tão óbvia? Achei mal feito… Eu geralmente relevo muitas coisas, mas isso foi além dos limites! Ainda mais por ser um anime histórico, onde eu imagino que o público seja um pouco mais selecionado…

  “Nossa Mallu, você ficou o post inteiro reclamado da situação dos idiomas, não tinha mais nada do que falar não?” Claro que não, não aconteceu mais nada!!! (Mentira, teve o lance do kimono, mas como eu achei uma bobagem sem fim não vou nem comentar. Sério, quem se livra da herança da mãe desse jeito?).

  Enfim, essa paradisse é Ikoku Meiro no croiséé. Mas eu não vou parar de assitir só porque o primeiro episódio foi estranho. Além do mais, a narração em francês do final foi promissora. E a cena depois do encerramento foi bem bonitinha também… Por falar nisso, segue o encerramento que eu achei bonitinho.

  Mas eu preciso falar. Esses momentos “fanservice não-declarado para pedófilos” no encerramento me incomodaram bastante…

Vamos ver no que essa série vai dar…

XOXO

Mallu

Primeiros episódios: Usagi Drop e Blood C

9 jul

Oi!!^^

  Hoje eu vou comentar sobre os primeiros episódios que eu assisti de duas séries dessa nova temporada, Blood C e Usagi Drop.

Blood C

  Eu estava louca para assistir Blood C. Mesmo não tendo visto nada da franquia Blood anteriormente (sim, eu admito, nunca encostei no mangá, nem assisti o outro anime), quando eu soube que a CLAMP estaria envolvida nesse projeto, eu simplesmente não pude perder.

  Blood C é baseado no mangá shounen homônimo, de Ranmaru Kotone e sai na Monthly Shonen Ace.

  A história por enquanto: menina meiga, desastrada e com peitão (prevejo figures lindas) fica extremamente habilidosa ao lutar com sua espada contra criaturas sobrenaturais. Agora se esse mote vai se denvolver em uma boa história são outros quinhentos. Não vou julgar o anime por causa do primeiro episódio, mas por enquanto eu achei bem morno…

  Agora, o character design está lindíssimo, mesmo dando para perceber algumas reciclagens da CLAMP, como as gêmeas que lembram muito a Maru e a Moru, e o fato de a protagonista ser a cara do Watanuki.

  Fazia tempo que eu não via tantos bishounens em um anime… E como o episódio não foi ruim (não foi booom, mas também não foi ruuuim) eu irei assitir aos próximos.

  OBS: Achei um absurdo o pai da menina mandar ela ir sozinha lutar contra o bagulho de pedra… mas o absurdo maior foi o negócio que parecia ser de pedra sangrar! (Tomara que os próximos episódios sejam bem mais sanguinolentos!)

Usagi Drop

   Usagi Drop era um dos animes mais comentados, mesmo antes de sua estréia. E acredito que depois de seu primeiro episódio lindo, vai se consagrar como a estrela da temporada.

  Usagi Drop é baseado no mangá Josei homônimo, de Yumi Unita que foi publicado na Feel Young (mangá esse que pretendo ler depois do anime).

  O anime conta com extrema graça e delicadeza a história do jovem Dai (que aparentemente tem uma vida bastante corrida) que terá que alterar toda a sua rotina para criar uma criança.

  A menininha em questão é a sua própria tia, que é filha ilegítima de seu avo (já idoso) com uma amante que o abandonou  depois o nascimento da menina. Após a morte do avô, a menina orfã não tem para onde ir, já que nenhum dos familiares a quer. Diante dessa situação, Dai leva a pequena Rin para morar com ele.

  Eu achei o episódio muito bonito mesmo, e se a série continuar assim, já vi que ela vai me arrancar algumas lágrimas. É uma história muito tocante, contada de uma forma bastante gentil.

  Eu gostei muito do realismo da situação. O anime mostra crianças que não são geniais ou retardadas. São crianças comuns que se comportam como tal. Mostra também a hipocrisia de uma família, e o preconceito contra uma criança (que não tem culpa nenhuma) apenas por considerarem a sua concepção absurda.

  Espero que o anime prossiga com esse realismo e com a mesma sensibilidade, para mostrar a nova vida de Dai ao lado de Rin. Estou esperando muito dessa série, tomara que eu não me decepcione!

Atualização: Eu terminei de assistir e a resenha da série completa está aqui.

XOXO

Mallu