Versailles no Bara

14 maio

Oi!!^^

  Já falei que eu estou em uma fase nostálgica, não é mesmo? E como não poderia faltar, reassisti ao anime mais especial de todos (o qual eu nunca escrevi sobre aqui no blog), Versailles no Bara (a.k.a A Rosa de Versalhes, Lady Oscar e, para os mais íntimos, Berubara).

  Eu me encantei completamente por Berubara da primeira vez que assisti.  Mas confesso que agora, depois de muito tempo, a história me pareceu ainda mais intensa… Creio que por ser mais velha, consigo entender melhor a profundidade dos sentimentos de Oscar, e sentir ainda mais compaixão pela infeliz rainha Maria Antonieta.

  Acho que nunca falei sobre este anime aqui no blog por nunca me sentir capaz de fazê-lo corretamente. Ainda agora tenho certeza de que não sou. E não é só por falta de competência de minha parte (embora esse seja um grande problema também), mas por Versailles no Bara ser uma obra tão importante, tão marcante, tão única, que é impossível para mim definí-la completamente.

  Mas vamos lá… O anime é baseado no clássico mangá de Riyoko Ikeda, uma (talvez a mais) importante autora de shoujo mangá. Ela fez parte de uma geração de autoras nos anos 70 que revolucionou totalmente os mangás femininos, que antes eram escritos por homens que se julgavam profundos conhecedores da alma feminina. Essa geração de autoras (conhecida como “Geração de 24”) passou a escrever mangás que foram pioneiros no tipo de mangá shoujo que temos até hoje, mangás escritos por mulheres, para mulheres, com temáticas que deixaram de ser apenas infantis e abordavam também temas maduros. Então, meninas e meninos fãs de shoujo, façam uma reverência para as senseis da Geração de 24! (Para quem quer saber MESMO sobre shoujo clássico, eu recomendo a leitura deste post da Valéria, atual autora do Shoujo Café, ainda em seu antigo blog, o Shoujo House).

  Infelizmente, eu ainda não consegui ler o mangá da Rosa de Versalhes 😦 . Não consegui comprar a edição espanhola, não leio francês nem italiano. O mangá teve apenas dois volumes publicados há muito tempo nos Estados Unidos, e são extremamente raros. Quanto a scanlations, um grupo dedicado à tradução de Yuri, o Lililicious traduz os capítulos em um rítimo bastante lento, já que o mangá não é prioridade para eles por não se tratar de Yuri de fato (apenas possui algumas insinuações). Ainda tenho uma pequena esperança de que a Panini traga Berubara algum dia, mas acho pouco provável (embora fosse ótimo, porque poderia desencadear a publicação de diversos outros clássicos). Então, meu resuminho será baseado apenas no anime (que é de 1979/1980 e tem 40 episódios, além de um de recapitulação). Lady Oscar é um sucesso absurdo no Japão até hoje, e seus persoangens ilustram os mais variados produtos.

  A história de Berubara mistura um enredo fantasioso (da protagonista, e de alguns poucos outros personagens fictícios), com fatos históricos reais, da crise do Antigo Regime francês que culminaria, mais tarde, na Revolução Francesa. Para quem não sabe, a minha maior paixão é a História (os animes vem beeem depois…), então eu comecei a assitir Berubara por ser a conciliação dos meus grandes hobbyes: shoujo + Revolução Francesa? Não poderia existir coisa melhor 🙂 . (Agora, cuidado estudantes que farão prova sobre a Revolução Francesa! O anime é conduzido de uma forma tão brilhante, que para os menos informados sobre o período, pode ficar um pouco difícil saber quem existiu de fato, e quem é personagem fictício!)

  A nossa protagonista é a linda maravilhosa diva absoluta Oscar François de Jarjayes (que, infelizmente, não existiu 😦 (mentira, ela sou eu) ) é a filha caçula de um nobre que só teve filhas, e queria um filho para ser seu sucessor. Portanto ele tem a idéia absurda de criar a menina como se fosse um homem para que, posteriormente, ela tivesse uma carreira militar. (Detalhe é que o nobre pai de Oscar realmente existiu… ele só não fez essa bobagem…)

  O drama começa quando,após acordo com a Áustria, a princesa austríaca Maria Antonieta veio para a França com apenas 14 anos para se casar com o príncipe francês, aquele que seria o futuro rei Luiz XVI . Da mesma idade que a princesa, Oscar já tem consciência de que é uma mulher (já que, sendo criada como homem, em sua infância ela acreditava ser um). E é com 14 anos, após a ordem de seu pai para se juntar a Guarda Real que deveria proteger a princesa Maria Antonieta, que ela tem que fazer a escolha decisiva para sua vida: continuar a viver como homem, ou viver plenamente como uma mulher.

  Oscar decide continuar como homem (grande parte dessa decisão se deve a pressão que seu pai exerce sobre ela, incluisive de forma violente) e, embora todos saibam que ela é de fato uma mulher, ele se veste com uniformes masculinos e é, de fato, a personagem mais máscula e viril do anime (sem nunca perder a sua feminilidade e delicadeza). Ou seja, o homem entre os homens, o “príncipe encantado” da história é na verdade, uma mulher. E com suas exímias habilidades, mesmo com sua pouca idade vence um duelo (não oficial, já que ela não queria ser comandante da Guarda que irira “pajear uma menina”) e acaba por conquistar (meio que a contra gosto) o posto de Comandante da Guarda Real.

  Mais tarde, ela e a princesa Antonieta se tornam grandes amigas, e após ver toda a nobreza e dignidade (apesar de sua personalidade fútil e despreocupada) da monarca, Oscar jura sua lealdade eterna.

  Com Oscar em Versalhes, temos um verdadeiro desfile de personagens e acontecimentos históricos. O contraste entre a opulência da vida no palácio, e a miséria nas ruas de Paris (já que o estilo de vida ridículamente extravagante dos nobres era sustentado por altos tributos cobrados do povo) é destacado desde o começo da história e, como esse é o tipo de história que qualquer um com um mínimo conhecimento de história já tem os principais spoilers, fica bastante claro quem um dos maiores conflitos da personagem principal (além de sua escolha em viver como homem) será decidir em ser justa com os seus valores morais e apoiar o movimento revolucionário, ou se manter fiél aos nobres, classe que ela pertence.

  Versailles é um anime histórico, um prato cheio para quem ama história, mas pode ser facilmente assistido mesmo por aqueles que não conhecem quase nada do período, porque os passos mais marcantes da Revolução são todos muito bem explicadinhos na narração. É um anime muito bom, bastante dramático, com direito a romances e paixões arrebatadoras, e a melhor protagonista da história. Agora eu vou fazer alguns comentários, que creio que serão mais válidos para quem assistiu ao anime.

  Primeiramente eu gostaria de falar de Oscar. Ela é completamente maravilhosa, e chega a ser difícil crer que ela não existiu (mesmo porque a França teve a sua “mulher soldado”, ou alguém aqui esqueceu de Joana d’Arc?). Ela é uma das personagens mais corajosas e decididas que eu ja vi, por isso eu vou aqui ressaltar uma pequena cena no final do anime, que realmente me tira do sério… SPOILER:  Após a noite de amor com André na floresta, que foi uma coisa linda, ela chega no quartél da milícia e diz alguma coisa mais ou menos assim : “Eu vou lutar do lado que o meu esposo escolher” e mais algumas bobagens sobre sua submissão perante seu marido.  RISOS!!! Quando no MUNDO Oscar seria submissa a André??? Oscar quer um marido para amar e ser amada, não para que ela obedeça a ele!!!  Além de que na própria cena da floresta, ele diz que ele iria onde quer que ela fosse, e estaria sempre ao lado dela, como havia feito durante toda a sua vida. OU SEJA, qualquer fosse o lado que ela escolhesse para lutar, André estaria com ela, e não o contrário. Não se esqueçam da idéia de que ela é a luz, e André é sua sombra, perfeitos um para o outro, mas de forma que a submissão de André fica bastante evidente. Eu realmente espero que no anime essa situação seja diferente… (e essa é a única parte que eu não gosto no anime, então decidi apenas, ignorá-la!).

  Agora, algumas das minhas partes favoritas. Na minha opinião, uma das melhores partes do anime é o “caso do colar” (que foi real). Outra parte que eu gosto MUITO é a sequência do “Cavaleiro Negro”. Achei bastante emocionante ^^.  Gosto de todo o anime, e amo muitas cenas, por isso é difícil falar sobre elas aqui… creio que as minhas favoritas sejam todas aquelas que envolvem a coragem de Oscar, além de SPOILER: a cena em que André, mesmo com o risco de ficar cego, remove suas ataduras e vai resgatar Oscar, a desobediência de Oscar, que impede a guarda real de atacar a assembléia, seguida da maravilhosa cena onde André tenta impedir que o pai de Oscar a mate,  a finalmente a cena em que André descreve o quadro de Oscar mesmo não sendo capaz de vê-lo, e ele descreve uma Oscar de uma maneira totalmente idealizada, levando a protagonista as lágrimas. Percebam que a maioria das minhas cenas favoritas envolvem André. Eu realmente amo esse personagem!

  Quanto ao final, eu não vou dar spoiler algum. Só posso dizer que eu choro desesperada e inconsolavelmente desde o fim do episódio 38 até o fim do 40, e só paro de sofrer para rir do momento que, para mim, é o mais aleatório da série: existe um irritante personagem, cuja relevância eu ainda não compreendi, que fica em baixo de uma ponte resmungando ao som de uma sanfona. É extremamente irritante. Para mim basta ele aparecer para eu entrar em desespero. O momento inusitado fica por conta de que uma menina aparece carregando o corpo dele, e ela diz ser sua filha. Aí eu pensei “Nossa, ainda bem, só faltava o cara da sanfona para melar o meu momento dramático”. Mas não. Ela substitui o pai e vira o “personagem irritante da sanfona 2”. Eu fui obrigada a rir.

  A história tem seu fim trágico na tomada da Bastilha, e após isso o tempo acelera uns 5 anos, e alguns personagens narram os fatos que sucederam os acontecimentos de 14 de julho de 1789. Entre eles, inclusive, o fim trágico da rainha Maria Antonieta (eu não foi o motivo que me fez chorar e não, não é spoiler porque todo mundo sabia que isso ia acontecer!).

  Para finalizar, o vídeo da abertura do anime (que eu acho muito digna, e eu amo a música).

  Eu recomendo a leitura dos diversos artigos sobre a Rosa de Versalhes que existem no blog Shoujo House. Eles são infinitamentes superiore ao meu, já que a autora deles é uma fã muito maior e ha mais tempo do que eu.  Algumas das imagens que ilustram o post tmbém foram retiradas de lá.

  Eu recomendo esse anime para todos. Não só para as rekijos de plantão, mas para todos aqueles que gostam de histórias ótimas e muito bem contadas (e, melhor de tudo, muito bem finalizadas!).

  E sim, eu sei que eu sempre falo que Ouran é o meu anime favorito. E realmente é o anime que mais me diverte, mas A Rosa de Versalhes está em um nível totalmente diferente e superior, que é até ridículo comparar os dois. Portanto, a Rosa de Versalhes, com certeza é e sempre foi, o melhor anime que eu já assisti.

  OBS: Eu comentei que no anime temos uma pequena insinuação yuri. Ela se deve porque a personagem Rosalie se apaixona por Oscar, mesmo sabendo que ela é uma mulher. Mas isso se deve principalmente ao fato de Oscar se vestir como homem, eu duvido que, se Oscar utilizasse roupas femininas Rosalie se apaixonasse por ela, por isso eu não considero que seja um yuri real.

OBS 2: Um dos maiores méritos do anime ao meu ver, é que como a história cobre um extenso período de tempo, os personagens envelhecem. Coisa que quem assiste a bastanete animes sabe como é rara.

OBS 3: E por fim, mas não menos importante, quem vier falar para mim que Versailles no Bara é anime velho, que é “muito quadrado” que é feio e mimimi, sem nem ao menos ter assitido a obra, por favor, tenha a gentileza de atravessar para o outro lado se me encontrar na rua. Eu me orgulho de respeitar as opiniões divergentes na maioria das situações, mas com Lady Oscar não dá!!

XOXO
Mallu

Anúncios

8 Respostas to “Versailles no Bara”

  1. pers_core 14/05/2011 às 17:59 #

    Nossa Mallu que resenha ótima!! Adorei! E adorei a história tb, mas me parece bastante complexa e dramática e só poderei ver quando estiver no clima, pois parece ser um daqueles animes que vão me fazer chorar!

    Parabéns pelo texto!

    Xoxo

    • Mallu 14/05/2011 às 18:40 #

      Huahahaha com certeza vai fazer vc chorar! Mas é mais pro finzinho!

      Aaah Pers, não deixe de ver… é incrível!

      Obrigada ^^

      (Ah, e eu comentei no seu blog usando uma outra conta, ms era eu mesma…)
      xoxo

      • pers_core 14/05/2011 às 21:01 #

        Acabei de ver seu comentário!!!Obrigada Mallu!

        E pode deixar que eu vou ver Versailles no Bara sim!!!

        Bjs

  2. Mallu 14/05/2011 às 21:16 #

    Que bom então Pers! Espero que vc goste ^^
    (do comentário eu estava com medo de que vc não soubesse que era eu! huahaha)

  3. Diego Maryo 22/04/2012 às 22:21 #

    Parabéns pelo post. Lady Oscar é sensacional! Queria que um dia esse anime fosse dublado por inteiro (não apenas o especial que já foi lançado no Brasil, sem divulgação). Os characters designers Shingo Araki e Michi Himeno são incríveis, possuem um traço único e bonito (também atuaram em Saint Seiya). Abraços!

    • Mallu 24/04/2012 às 01:35 #

      ATÉ QUE ENFIM UM FÃ DA ROSA! SEJA BEM VINDO!!!!
      Obrigada pelos elogios ao post!
      Com certeza Lady Oscar merecia um lançamento digno no Brasil, tanto o anime quanto o mangá!
      Quanto ao character design, sou suspeita pra falar, porque enquanto a maioria das pessoas acha o traço datado e feio, eu acho lindo e incrível!!
      xoxo

  4. beijo Lacka 14/10/2012 às 16:37 #

    Mallu vc tem este anime?

    • Mallu 09/12/2012 às 22:56 #

      Vixe Lacka, tenho não :/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: