Tag Archives: LaLa

Maid Sama! O mangá

24 abr

Oi!!^^

  Gente, Feliz Páscoa!!

  Então, eu hoje vim falar do mangá de Maid Sama (Fujiwara Hiro/LaLa). Eu sei que a Panini falou que vai lançar e tudo o mais, mas antes do anúncio, eu já tinha comprado a edição americana… hehe.

  Além de que já faz um tempão desde esse anúncio, mas nada de Maid Sama! nas bancas… A edição que eu estou acompanhando é da Tokyopop ( e estou morrendo de medo de ser cancelada!) e por enquanto tem 8 volumes lançados.

  Na época em que eu assisti ao anime ( e fiz uma resenha pro blog) eu ainda não tinha lido ao mangá. Mas depois que comecei a ler, não consegui parar… 

  Eu amei o mangá de Maid Sama! gostei muito mesmo. É o meu tipo de shoujo favorito, com uma protagonista forte e decidida (que sabe se virar sozinha muito bem, ela não é indefesa nem desastrada!), com um menino lindo que adora a força da protagonista (mesmo que, ainda assim, ele tente protegê-la).

  De uma maneira geral o anime é bem fiél ao mangá. O ritmo de ambos é rápido, e a história flui sem delongas.  Para vocês terem uma idéia, o primeiro volume da série cobre até o episódio 6 do anime SPOILER: exatamente, o episódio do beijo roubado. Ou seja, desde o primeiro volume, já sabemos que aquele é o casal principal, sem triângulos amororsos nem nada, pelo menos não os triângulos amorosos clássicos, onde fica aquela dúvida cruél de “a mocinha ficará com quem?”. (Mais pra frente surgem alguns “quase” triângulos. Digo quase, porque não ameaçam nem um pouco a união do casal de protagonistas.

  Não vou dizer que Maid Sama! é como Black Bird, com beijos apaixonados a cada capítulo, mas com certeza temos muito mais “ação” do que na maioria dos mangás shoujo que chega por aqui…

  Outro ponto a favor do mangá é que ele supre as deficiências do anime quanto ao passado dos personagens. Eu estava revoltada com o passado oculto de Usui no anime. No mangá, essa história é contada. Uma coisa legal de se perceber no mangá é a diferença do traço já do primeiro capítulo para o segundo! A autora pensou que seria uma historia de umcapítulo só, e aperefeiçoou muito o traço quando o mangá virou uma série. Achei digno.

  Maid Sama! pode ser repleto de clichês, e flertar muito com o fanservice, mas em termos de diversão é uma delícia!  Eu recomendo Maid Sama! para quem quer uma comédia romântica leve, sem muitas frescuras e, principalmente, sem uma protagonista donzela que precisa ser resgatada.

XOXO

Mallu

Maid-Sama no Brasil!!!!!

1 mar

Oi!!

   Meus caros leitores, é hoje que a sua humilde blogueira morre do coração…

  Uma notícia, que era até um pouco óbvia, mas não menos feliz, e que por acaso não é de hoje, e sim de ontem, chegou até mim graças a uma queridíssima leitora fiél do blog, a Daphi. (Arigatooou Daphi-chan!^^)

  Depois de Kimi ni Todoke, a Panini queria quebrar tudo e anunciou (agora sim) o shoujo do ano: KAICHOU WA MAID SAMA! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  Sim sim minha amada leitora, você entedeu direitinho, em breve você poderá adquirir um exemplar contendo o bofe-escândalo do momento Usui Takumi na banca mais próxima da sua casa!

  Finalmente uma comédia romântica! E é da LaLa!!! Com todo o respeito, Cookie, Rib~bon, Hana to Yume, mas a LaLa é outro nível! (Momento fã-girl!)Estou muito ansiosa para ler esse mangá, para ver  todas as pontas largadas soltas no anime se amarrando ^^

( o incrível segundo encerramento do anime, para todo mundo entrar no clima)

  Junto com Maid-sama (Fujiwara Hiro / LaLa), a editora também anunciou outros 2 mangás shoujo que eu não conheço mas que tem temática sobrenatural: Darker than Black ( Okamura Tensai / Asuka) e 07-Ghost (Amemiya Yuki , Ichihara Yukino / Monthly Comic Zero Sum). Eu provavelmente comprarei os dois, porque me parecem bem interessantes!

  Notícias muito felizes hein?? Para eu ficar mais feliz, só se fosse Natal e eu pudesse assistir ao live-action de Paradise Kiss que ainda não estreiou.  este ano já começou… auspicioso ^^.

OBS: Um obrigada especial à Daphi, que além de ser leitora fiél e sempre comentar, me passou o link da notícia que eu ainda não sabia! Fiquei muito feliz com a sua participação!!^^ Eu sou muito grata por TODOS os comentários, tanto dos visitantes esporádicos, quanto das meninas que sempre vem aqui, como a Daphi e a Pers (Um pouco de Shoujo, blog da Pers). Muito obrigada pelo apoio constante!

Fonte: JBox.

XOXO

Mallu

Kaichou wa Maid-sama!

30 jan

  Oi!!

  E agora, no último dia das férias, eu trago para vocês uma resenha de um ótimo anime para ver nas férias (sádica, eu?)!

  Mas não se preocupem… podem ver em época de aula também pra dar uma animada no dia ^^

 

  Kaichou wa Maid-sama! (A presidente é uma empregada!) é um anime  tão divertido, que, se você não ficar atento, nem vai perceber que ele encerra sem falar quase nada do que deveria…

  Vale dizer que eu ainda não lí o mangá (embora tenha muita vontade), e com certeza seria um título que eu acompanharia se fosse lançado por alguma editora brasileira (Panini, dá um help aí e lança Maid-sama! pra gente, vaaai!!), então não sei como a história se desenvolve originalmente, então vou fazer o resumo com base apenas no anime mesmo. ^^

  O mangá de Kaichou wa Maid-sama é publicado na revista shoujo LaLa (LALAAAAA!! \o/) e ainda não acabou. A autora é Fujiwara Hiro, que já publicou outras coisinhas que eu não conheço, e tem em Maid-sama! o maior sucesso de sua carreira.

  Eu estou querendo assistir esse anime desde que foi lançado em Abril de 2010, mas só consegui assistir agora. E, como esperado doas animes baseados nos mangás da LaLa (sim, eu sou fã convicta da LaLa e acho que é a melhor revista shoujo ever), não me arrependi de assitir e me diverti bastante.

  Agora vamos aos fatos…

  A nossa protagonista da vez é a tsundere EXTREMAMENTE briguenta, Ayuzawa Misaki. Misaki passa por dificuldades financeiras em sua família desde que seu pai abandonou a casa, deixando mãe e duas filhas com uma grande dívida para saldar. Todos na casa colaboram, a irmã mais nova de Misaki, sempre em busca de ofertas e sorteios, a mãe trabalhando bastante, e Misaki, que escolheu uma escola barata para estudar e procurou um trabalho… pouco convencional.

  Vamos primeiro falar da escola. Misaki entrou em um colégio que antes era mascuino e, recentemente, se tornou misto. Por conta disso, a maioria dos alunos são homens e a escola era uma bagunça, onde as meninas se sentiam oprimidas por eles.

  Querendo mudar essa situação, Misaki , que é excelente nos estudos e nos esportes, se torna presidente do conselho estudantil (formado apenas por homens). Com regras rígidas e muitas ameaças e agressões, Misaki consegue colocar um pouco de ordem na escola. Porém fica evidente o quanto ela protege as meninas e persegue os meninos, mesmo que ela mesma não perceba isso. Por isso os meninos não gostam muito dela, eles apenas a temem (fato que ela precisa mudar, se quiser manter sua posição).

  Quanto ao trabalho, Misaki precisa de um emprego onde ela consiga ganhar bastante sem trabalhar muito, já que o trabalho não pode prejudicar seus estudos, para que ela possa se manter presidente do conselho. Então ela vai trabalhar em um Maid Café… Claro que em um lugar afastado da escola, porque ela tem medo de que se os alunos soubessem de seu emprego, não respeitassem mais a sua autoridade como presidente.

   Mas como em animes os segredos das protagonistas nunca estão seguros, ela é descoberta logo no primeiro episódio pelo menino-pudim da escola, o par romântico PERFEITO de mangá shoujo, totalmente idealizado e sem nenhum defeito, o atrevido Usui Takumi.

  Mas diferente do que Misaki pensava (e correspondendo às expectativas da audiência), Usui guarda o seu segredo e se torna o seu maior aliado na conciliação dessa vida dupla que ela leva. Misaki, por ser muito ingênua, acredita que Usui apenas gosta de provocá-la, e não percebe os reais sentimentos que o rapaz nutre por ela.

  E a história se desenvolve assim, com Misaki sendo a salvadora das meninas da escola, e Usui sendo o nobre cavaleiro que sempre está lá para salvar a sua donzela (que, em hilárias cenas, mostra que sabe muito bem se virar sozinha, mesmo que precise ser salva as vezes…).

  Os pontos altos do anime, na minha opinião, são o fato de que, por se tratar de um anime shoujo, houve pouquíssimo fanservice nas cenas do maid café (tema que poderia ter dado abertura para MUITO fanservice), e a questão das maids tomou o rumo do moe moe (cenas engraçadíssimas com a gerente e seus surtos moe! Gerente, amo você!); além do protagonista, Takumi, que exala o mais puro moe moe!! É o protagonista perfeito, que diferente de muitos do mundo dos mangás, não despreza nem trata mal a garota, ele é bom para ela desde o começo. Além de toda essa perfeição, maid-sama! também é um anime bastante engraçado (não engraçado como OURAN, mas mesmo assim muito engraçado!), o que me fez bastante feliz.

  E agora, os pontos fracos. (Tem um pouquinho se spoiler, nada muito grave mas… selecione para ler.) Eu não entendo porque o romance finalmente destrava nos últimos 2 minutos do último episódio. Isso é muito chato, porque a maioria das comédias românticas só mostra a fase da paquera e da conquista, e nunca do namoro em si. Mas esse nem é o maior problema, já que quem assite muito shoujo já sabe que é assim mesmo que funciona na maioria das vezes… (tirando raras e lindas excessões, como Black Bird né? ^^). Mas o problema MESMO foi: ok, terminou. E a história?

  Para quem só ligava para o casal protagonista, tudo ok. Finalzinho meio caído mas nem por isso inesperado ou muito decepcionante. Mas e as histórias dos bastidores? Eu não sei como é no mangá, mas eu senti falta de um aprofundamento na trama do abandono do pai da Misaki. E o amigo de infância, ele aceita perder Misaki para Usui, ou ele vai continuar dando em cima dela? Por quê não arrumaram uma mulher pra ele, hein? Coitado! E aqueles caras da escola sinistra dos ricos? Eles simplesmente vão deixar eles em paz? O vilão conhecia ou não o Usui previamente (porque não me lembro em qual episódio, ele diz “como esperado do Usui”)? E a história do Usui? Quem ele é na realidade? Pelos encerramentos, dá para saber que ele é um menino rico que foi abandonado pela mãe, e que leva uma vida solitária até que Misaki aparece em sua vida. Mas eles não dizem isso em NENHUM momento do anime. Eu realmente esperava um episódio onde Usui iria revelar a sua história triste para Misaki, mas fiquei na expectativa e o anime acabou sem acontecer nada :/

  Por isso fico na expectativa para uma segunda temporada, que ainda não foi nem confirmada nem negada. Porque eles precisam prender essas pontas soltas deixadas ao longo da história.

  Mas… se não houver segunda temporada, eu recomendo Maid-sama! para aqueles que não querem levar o anime muito a sério nem se prendem muito na história, e querem apenas se divertir. Agora, se lançarem a segunda temporada, eu recomendo pra todo mundo, mesmo!

  (Ah, e eu me recuso a dizer que tem um triângulo amoroso. Eles até tentaram criar um, mas a concorrência tava tão fraca, que nem rolou… Então esse anime é bom pra quem já está um pouco cansado dos típicos triângulos amorosos.)

  E, para finalizar, eu preciso falar dos encerramentos.

  A abertura é chatinha, com música muito enjoadinha e tudo mais, daquelas que dá pra pular sem dó (Ok, é colorida e bonitinha… da primeira vez. Agora tenta aguentar 26?). Agora os encerramentos não! O primeiro encerramento é ok. è legal porque dá uns spoilers da vida do Usui e da cena dos fogos. Agora, o segundo encerramento, é SENSACIONAL!

  Gente! Muito bom mesmo! Altas revelações da vida do Usui, música mara, além daquelas rosas coloridas muuuito Paradise Kiss. Sério. Quem viu Paradise Kiss, é impossível não fazer o link, ainda mais quando as rosas ficam azuis…

  Vou colocar os vídeos aqui. O da abertura e dos encerramentos. O Primeiro só tem aquela pegada hot do Usui, mas o 2 é incrível (eu gostei muito, pelo menos…)

Abertura:

Encerramento 1:

Encerramento 2:

  O post hoje ficou grandão né? É pra compensar tudo o que eu deixei de escrever nessas férias…

XOXO

Mallu

OBS: Para quem não sabe, maids café são cafeterias ou lanchonetes onde as atendentes são vestidas com roupas típicas de empregadas francesas. Os maid cafés são muito populares no bairro de Akihabara, em Tókio, que é o point dos Otakus (o que faz o muito sentido, já que a atmosfera dos cafés são sempre puro Moe Moe). As maids representam um fetiche masculino, mas de forma alguma podemos dizer que as maids dos maid-cafés são prostitutas ou coisas do gênero.

  Os maid cafés criam um ambiente de fantasia e descontração, onde as atendentes são sempre muito atenciosas e simpáticas, e tratam seus clientes por “mestre” ou “meu senhor”. Alguns cafés disponibilizam serviços especiais, como poder tirar um foto com sua maid favorita (mediante pagamento, acumulação de pontos ou sorteio) ou jogar jogos com as maids.

  Eu quero deixar bem claro que, apesar de representarem uma fantasia, as maids NÃO SÃO garotas de programa. Elas são garçonetes (algumas delas otakus) que se divertem representando esse papel, ou apenas o consideram um trabalho de garçonete normal, e o fazem pelo dinheiro.

Merupuri

27 jul

Oi!!^^

  Hoje eu vou falar do meu queridinho Merupuri.

  Merupuri foi o primeiro mangá que eu li (*segura as lágrimas de emoção*). Foi por causa de Merupuri que eu me apaixonei pelo mundo dos mangás shoujo, paixão que foi evoluindo até os animes e doramas. Se hoje eu sou uma afcionada pela produção cultural oriental (a.k.a otaku), a culpa é de   Merupuri.

  Não sei se foi por ser o meu primeiro mangá, eu só sei que fiquei totalmente encantada com Merupuri, tanto que, mesmo depois de tantos outros manás, Merupuri ainda é o meu mangázinho do coração. O mangá, de autoria de Hino Matsuri (Hino-senseeeeeeeiii) (mesma autora de Vampire Knight, que vocês cansaram de me ver falar aqui no blog (vejam o VK Project ^^)) foi originalmente publicado na revista shoujo LaLa (é impressionante como os meus mangás favoritos são quase todos da LaLa…). Aqui no Brasil, Merupuri teve seus 4 volumes publicados pela editora Panini.

  Merupuri é uma comédia romântica, no maior estilo mahou shoujo. Como o mangá fez grande sucesso, é relativamente fácil encontrar os seus volumes para venda até hoje. (Ou seja, não existe desculpa para não ler!^^).

  Merupuri conta a história da pacata e romântica Hoshina Airi, que, sem saber, é descendente das feiticeiras do reino mágico de Aster, localizado em uma dimensão paralela (?). Sem saber de sua origem fantástica, Airi, de 15 anos, vive no Japão (pois a porta para 99,9% das dimensoes paralelas se abre no Japão, ou melhor, como a CLAMP nos ensinou, mais exatamente na Torre de Tókio).

  Sua vida era comum, até o dia em que encontra na rua um meninho perdido (*o*). O que ela não sabia é que o menininho era o príncipe Aram, ou melhor, Aster-ae-Daemonia Eucarystia Alam. Aram é o jovem príncipe do Reino de Aster, que veio parar no Japão por meio de um portal no espelhinho de estrela da nossa protagonista. O espelhinho, que Airi herdou de sua vovózinha mágica, era mais do que um objeto de bolsa, era uma porta de volta para casa.

    O portal, que ficara fechado por tantos anos, foi aberto pelo pequeno príncipe Aram que procurava um lugar onde pudesse se proteger de seu irmão (que nem tão malvado assim, e é um dos melhores personagens de todos) Jeile.

Os príncipes de Aster: Aram (versão teen) com a bonequinha Airi (*o*), e o seu irmão Jeile

    Airi se sente na obrigação de cuidar daquela criancinha sozinha (o pequeno Aram tem apenas 7 aninhos). Ela só não sabia do efeito colateral que o menino tinha. Graças a um feitiço lançado por seu irmão, quando Aram fica em um local totalmente escuro, ele envelhece 10 anos, assumindo a aprência de um jovem de 17 anos. E, o único jeito dele voltar ao normal, é se ele receber um beijo de amor verdadeiro da sua princesa (oooooooown).

  Nessa confusa relação, que começou com um sentimento maternal que se desenvolve para amor, (quem falar que Merupuri faz apologia a pedofilia vai levar uma tijolada na nuca. Tanto que os personagens esperam atingir a maioridade de ambos antes de concretizar a sua paixão, e Aram tem valores diferentes, por ter sido criado como um monarca, daí a sua necessidade de escolher uma esposa cedo (ele foi criado e educado para isso))Airi se ve conectada a família real de Aster, coisa que permite a ela, durante a história, descobrir mais sobre a sua própria história e o seu passado mágico, e o porque de sua família viver agora na terra, e não mais em Aster.

  Merupuri é um mangá extremamente bonitinho, que vale super a pena ler. Eu recomendo para todo mundo, em especial para aqueles que querem se aventurar no mundo dos mangás shoujo. Eu conheço várias outras pessoas além de mim que começaram a ler mangás por Merupuri, e eu sempre indico ele como o primeiro mangá para alguém ler, pois com a sua história apaixonante, é um ótimo primeiro passo para o universo Otaku.

  Sem falar, é claro, na qualidade de traço e história de Hino Matsuri que, com certeza, é uma das maiores autoras de mangá shoujo da atualidade (e com o traço mais bonito também). (Mas eu sou suspeita, porque sou fã de carteirinha mesmo ^^).

XOXO

Mallu

P.S: exite uma resenha muito boa de Merupuri (que coloca a minha no chinelo) da Valéria, do Shoujo Café, que foi feita na época do lançamento do mangá por aqui. E outra, ,ais completa e da mesma autora, no Shoujo House.

Ouran High School Host Club

22 jul

Oi!!^^

Irasshaimase!!!

  E sejam todos bem-vindos ao post do Host Club mais querido do mundo, OURAN HIGH SCHOOL HOST CLUB!!!! \o/\o/\o/

  OURAN é a minha série favorita ever!!! Nunca existiu nem existirá nada melhor! Tanto o anime quanto o mangá são maravilhosos! Eu amo os hosts, amo os personagens secundários, amo os cenários, amo TUUUDOOO!!!!! (Momento MOE passou… vamos falar sério agora…).

  Hoje finalmente eu tomei vergonha na cara coragem e decidi escrever sobre Ouran. Na verdade, estou pretendendo escrever sobre todas as minhas séries/mangás favoritos, e, nada melhor que começar pelo mais querido de todos.

  Ouran é a melhor uma série de comédia romântica, que faz uma grande sátira ao universo MOE e é extremamente divertida. O mangá ainda está em andamento no Japão, embora já esteja rumo ao seu arco final. O mangá, de Hatori Bisco, que é publicado na revista shoujo LaLa, recebeu uma versão em anime com 26 episódios. No Brasil, Ouran é publicado pela editora Panini.

  Ouran conta a história da pobre e brilhante Fujioka Haruhi, que recebe uma bolsa escolar para estudar no colégio Ouran, um dos melhores (e mais bem frequentados) colégios do Japão.

  Ao procurar um lugar sossegado para estudar, a inocente Haruhi entra acidentalmente na 3ª Sala de Música. Onde ela achava que teria paz para estudar, ela se depara com uma variada gama de bishounens que compôe um  Host Club completamente maluco.

Haninozuka Mitsukuni (Hani / Honey-sempai) ; Ootori Kyoya ; Suou Tamaki (Tono / King) ; Fujioka Haruhi ; os gêmeos Hitachiin: Hikaru e Kaoru e Morinozuka Takashi (Mori-sempai)

  Ao chegar no clube, os membros pensam que Haruhi é homem, devido a sua aparência desleixada, mas, mesmo assim, oferecem seus serviços a “ele”, pois acham que é um cliente. Confusa com a situação, Haruhi descuidadamente derruba um vaso caríssimo, que seria leiloado no Host Club. Para pagar a sua dívida, já que ela não tem dinheiro para arcar com ela, fica acertado que ela (que os membros ainda pensam que é “ele”) deveria trabalhar no Host Club como mascote (a.k.a empregado).

  Depois de algum tempo de serviço, os hosts descobrem não só o potêncial de Haruhi, tanto em talento quanto aparência, para se tornar um verdadeiro Host, bem como descobrem que, na verdade, Haruhi é mulher.

  E é assim, que a história segue, com muito bom humor, mantendo o segredo do sexo de Haruhi, já que se descobrirem que ela é mulher, ela não poderá mais trabalhar no Host Club para pagar sua dívida, bem como os membros não poderão mais desfrutar de sua agradável compahia, já que Haruhi não é do tipo de mulher que entraria num Host Club como cliente.

  A história pode parecer um pouco sem sentido, e, na verdade é mesmo! rsrs Mas é aí que está a graça do mangá: nas extravagância dos membros do clube (que são os alunos mais ricos/bonitos/famosos da escola) e nas situações cômicas e conflitantes deles com a plebéia Haruhi.

  Conforme a história se desenvolve, ela vai ficando também mais profunda, mostrando a fundo a relação de amizade que existe entre os membros do clube, que cuidam uns dos outros e, mais importante, protegem uns aos outros. Ouran mostra também que a amizade e o amor podem surgir das mais diversas situações, e que, não importa o quanto você tenha dinheiro ou posses, elas não valem nada se não puderem ser compartilhadas e desfrutadas com a família e os amigos.

  Ao mostrar a história individual dos Hosts, fica evidente também que os problemas e tristezas, bem como os traumas da vida estão presentes na vida de todos, sejam pobres ou ricos, e que, todos, tendo o apoio das pessoas queridas, podem superá-los.

  Ouran é um mangá lindo, e, sobretudo, divertidíssimo! Recomendado para pessoas que querem dar muitas risadas, e que querem uma história que é ao mesmo tempo leve, mas cheia de conteúdo!

  (Destaque para os meu querido Tamaki, que por acaso é o meu personagem favorito de todos os tempos. Ele, que apesar do seu jeito brincalhão, possui um grande coração e sorri para todos, mesmo carregando uma grande ferida do passado).

(Eu tenho a impressão de que não consegui transmitir toda a qualidade do mangá… Mas, por favor acreditem, é o melhor mangá de todos!)

XOXO

Mallu

Novo shoujo da Panini: Eensy Weensy Monster

15 out

Oi!!^^

  Novidades no mercado dos mangás! Eensy Weensy Monster, de Masami Tsuda (a mesma autora de Karekano) chega no Brasil pelas mãos da Panini.

ensy weensy  monster

  O mangá foi publicado originalmente na LaLa, e seus 12 capítulos foram reunídos em dois tankobouns, que serão lançados por aqui a partir de Novembro.

  O mangá conta a história de Nanoha, uma garota que nutre sentimentos de inveja e inferioridade por ser uma garota comum em meio a suas amigas brilhantes, sentimentos estes que se acumulam em uma espécie de monstro… O.o

  Forra as bizarrices, o mangá é um shoujo de romance (NÃO ME DIGA!!!), com o príncipe perfeito, a menina sem-graça, e nem precisa falar o resto, né?

  Embora existam muitas criticas com relação ao mangá, vou dar uma espiada quando lançarem. Por quê? É shoujo, é Masami Tsuda,  a história é curtinha… Sem falar que o traço dela esta EXTREMAMENTE melhor do que em KareKano (como se desse pra piorar, hohoho).  Bom, depois que eu ler, nós nos falamos novamente…rsrsrs

  Vi a notinha no Anime Pró.

XOXO

Mallu

Fanbook de OURAN

29 ago

Oi!!^^

  Venho aqui deixar uma notícia só pra deixar a galera que é fã de OURAN passando vontade (principalmente eu).

  Como se não bastasse o lançamento do volume 15 do mangá , estão previstos para a mesma semana a segunda light-novel e o fanbook da série. *-*

ouran fanbook

   E, claro, as coisas mais legais não chegam em versões traduzidas oficiais no nosso país. Então, essa notinha é mais uma para a lista do “mamãe quero morar no Japão”. Mas não dá pra reclamar muito… a gente tem que ficar feliz por um mangá tão fantástico quanto OURAN ser publicado no Brasil (pela editora Panini).

  Mas enquanto a publicação aqui, que era mensal, virou bimestral, e logo terá de ser pausada, eu me contento com os scans mesmo… rsrsrsr. Quem tá ansioso pela próxima LaLa?? \o/\o/\o/

Spoilers… inevitáveeis, né?

  Eu estou muito ansiosa pra saber o que o Tamaki vai aprontar na casa sede… Quero ver também o encontro dele e da Haruhiu na escola… depois do beijo e talz, será que vai rolar um clima???^^ A  parte quanndo ele vai na casa dela, depois do beijo, só pra dar a notícia de que ele pode entrar na casa sede foi muuuuito kawaii. E a carinha dela de “ele não vai entrar mesmo??”   *-* Nhaaaaaaa!!! até que enfim a Haruhi está completamente apaixonada por ele^^. O que me deixa com a triste sensação de que está realmente na reta final… Como será que o Host Club vai ficar agora sem o Hani e o Mori???? T.T E ainda mais com o climãao entre a Haru-chan e o Tono…

  É, parece que a Hatori-sensei não tem muito para onde correr, a não ser o fim da série mesmo…. D:

 

Vi a notinha no Shoujo Café.

XOXO

Mallu

Kaichou wa Maid-sama! ganha Anime

29 ago

Maid-Sama

A Edição de Outubro da Revista mensal LaLa, vira anunciando a nota oficial sobre a versão Anime do Mangá Kaichou wa Maid-sama, de Fujiwara Hiro.
Também conhecido como somente Maid-sama, o mangá de comédia-romantica conta a história de Ayuzawa Misaki, presidente do conselho estudantil e que odeia os homens. Só que um colega de classe descobre que ela trabalha secretamente em um Maid Cafe, o que poderia destruir a reputação de Misaki. E então a história começa.
O Mangá é publicado desde 2005, e já tem 8 volumes.

Patrício.

Vampire Knight

28 jul

Oi!!^^

  Hoje (finalmente), eu vou falar de uma das minhas série favoritas: Vampire Knight, de Hino Matsuri. Como a série é muito querida por mim, talvez o post fique um pouquinho longo, sorry.

vampireknight

(Ilustração da capa do primeiro volume)

 

    O mangá é originalmente publicado no Japão na revista shoujo LaLa desde 5 de Julho de 2005. No Brasil, o mangá é publicado pela Editora Panini. No Japão, o mangá já teve seu décimo volume publicado, e conta atualmente com 52 capítulos.

  Aqui nas nossas terras tropicais, a publicação do mangá foi interrompida em Abril de 2008, após o lançamento do volume 6, devido ao encontro da edições brasileira/japonesa. Para mais detalhes sobre esse tema, por favor verifiquem o post Vampire Knight: A publicação volta ou não? (http://yonihon.wordpress.com/2009/07/03/vampire-knight-a-publicacao-volta-ou-nao/) que eu escrevi aqui no blog mesmo… Mas não se aflijam! Se Destino Cativo 5 realmente for lançado nesta semana, provavelmente até o fim de setembro teremos vampire Knight 7 nas nossas bancas^^ (parece até um sonho!).

  O mangá conta a história de Yuuki, que não possui memórias do seu passado antes dos seus 5 anos. Suas primeiras lembranças são de uma paisagem com neve, onde ela é atacada por um vampiro mau e só sobrevive graças ao socorro de um belo vampiro gentil, chamado de Kuran Kaname.

  Kaname leva Yuuki para a casa do diretor Cross Kaien, que adota Yuuki e a cria como se fose uma filha. Alguns anos após, Kaien abriga em sua casa o menino Kiryuu Zero, filho de uma tradicional família Hunter (caçadores de vampiros), cuja família inteira foi assassinada durante um ataque de uma vampiro puro-sangue. Zero é uma criança muito fechada, que carrega um enorme ódio pelos vampiros e um perigoso desejo de vingança.

  Temos então os participantes do triângulo, pois não dá para se fazer uma boa história de amor sem um triângulo. Yuuki, que ama e admira Kaname desde sua infância, fica com seus sentimentos abalados ao falar com o melancóico Zero. E é claro que ambos estão dispostos a lutar por esse amor. Diferentemente da maioria dos animes e mangás, o triângulo de Vampire Knight não é de solução obvia. Mesmo após um ponto da história onde a protagonista escolhe um par, é constante a atmosfera de que tudo pode mudar. O final é pouco previsível, e Hino Matsuri deve estar sofrendo um bocado para definí-lo, já que ambos os galãs tem uma torcida gigantesca. (Alguém já percebeu na incrível habilidade da Hino-sensei em criar os homens perfeitos? Gente, essa mulher tem uma imaginação gloriosa… Kaname, Zero, Aram, Scars, Jeile… são tantos^^)  (Eu sou partidária do casal Kaname+Yuuki maas… a Yuuki é absurdamente sortuda.)

vampire-knight-zero-kaname

 

 (Da esquerda pra direita: Zero, Yuuki e Kaname)

 

    O enredo se desenrola na Academia Cross, dirigida pelo pai adotivo de Yuuki. Os alunos da academia se dividem em dois períodos. A Day Class é formada pelos alunos normais (vulgo= humanos), enquanto a Night Class é formada pelos vampiros. Zero e Yuuki são os monitores, e tem o dever de proteger osegredo da Night Class. Enquanto Kaname, que é um vampiro puro-sangue, portanto capaz de exercer influência sobre os demais vampiros, fica engarregado de controlar os seres noturnos que vivem na escola, impedindo, junto com os monitores, que os vampiros ataquem os humanos.

  Vampire Knight ganhou um anime de 13 episódio em 2008, que teve uma continuação, Vampire Knight Guilty, também com 13 episódios, que foi exibida até 2009. Não se sabe ao certo se haverá uma terceira temporada, pois mesmo o anime não tendo um final definitivo, já que nem o mangá terminou de ser publicado, ainda não existe nenhuma promessa de continuação.

  Ambas aberturas do anime possuem músicas da banda ON/OFF, sendo a música da primeira abertura Futatsu No Kodou To Akai Tsumi, e do Guilty Rine Rondo (é maravilhosa a segunda abertura *-*). Já os encerramentos são cantados pela cantora Kanon Wakeshima, com as músicas Still Doll (Primeira temporada) e Suna no Oshiro (Guilty). Eu fiz um post sobre a Kanon Wakeshima aqui no blog (http://yonihon.wordpress.com/2009/07/17/kanon-wakeshima/). lá vocês podem ver os vídeos dos dois encerramentos de VK.

(Vídeo da abertura de Vampire Knight Guilty, música Rine Rondo do ON/OFF)

 

  É claro que existem diferenças entre o mangá e o anime, que eu não vou citar para não dar nenhum spoiler, hehe. Mas de uma forma geral o anime é bastante fiél ao mangá, e não possui nenhuma alteração muito brusca da história (Só no final….)(Tá, não resisti, vou citar algumas das principais diferenças no final do post, depois de me despedir. Quem não gosta de spoilers, por favor não leia.). Ambos valem a pena e merecem atenção, mas é claro que eu gosto mais do mangá, como sempre.

  Espero que tenham gostado do post, e peço desculpas por ele ter ficado tão longo. Eu recomendo Vampire Knight, tanto o anime quanto o mangá estão na minha lista de favoritos e só perdem para OURAN High School Host Club… Em breve eu farei um post dedicado especificamente aos personagens de Vampire Knight, fiquem de olho.

  Eu recomendo (MUITO!!)^^

XOXO

Mallu

 

ATENÇÃO SPOILERS ABAIXO!! Selecionem o texto em amarelo para poder ler.

  Algumas diferenças entre o anime e o mangá

  Despedida entre Zero e Yuuki: No anime, Zero oferece seu sangue, para a então vampira Yuuki. Já no mangá, eles se beijam. Mas ambas são diferentes formas que Zero usou para mostrar a Yuuki os seus verdadeiros sentimentos, ou seja, o significado foi o mesmo.

  O Kaname não perde sua mão lutando contra o Zero no anime, como acontece no mangá. Uma pena, pois o capítulo 49, que é exatamente em seguida de onde o anime parou é um de meus favoritos, onde, para poder reconstruir a sua mão, kaname precisa do sangue de Yuuki. Pois ele só ficará plenamente satisfeito se obter o sangue da pessoa amada *-*. (Mas por outro lado, a mão dele é muito bela para ser perdida…)

  No anime, em nenhum momento se fala a idade atual dos personagens. Já no mangá é citado que Zero tem 17 anos e que ele repetiu de ano na escola. Se Yuuki e Zero estão na mesma classe, Yuuki portanto tem entre 15 e 16 anos.

  No anime Zero não diz que aceitou o trabalho de monitor para não deixar Yuuki sozinha correndo perigo entre os vampiros. Ou seja, Zero é um monitor principalmente para proteger Yuuki, ao invés do segredo da Night Class.

  No anime os vampiros não são sensíveis ao sol. Enquanto no mangá é mecionada dor por parte dos vampiros após longa exposição aos raios solares.

  O Kaname do mangá é mais sensível, ao passo que o Kaname do anime é frio e calculista (ainda bem que ele fica maravilhoso de qualquer maneira^^).

  Só no mangá é mencionado que os Kuran tem o sangue mais puro de todos, ficando ainda acima dos demais puros-sangue e sendo como se forrem a realeza. No anime, é dito apenas que os Kuran exerciam a realeza, sem explicar o motivo disso. Além de não deixar claro que os Kuran criaram o pacifismo atual entre humanos e vampiros.

  No mangá Yuuki tem visões de sangue como no anime, mas não fica ouvindo vozes em sua mente como acontece em VK Guilty. Kowaaaaaaai!!!

  No anime Kaname permite com que Ichijou mate seu avô. No mangá Kaname mata não só o avô Ichijou, o Ichijou (hehe), mas o conselho de anciões inteiros (baaad booooy!!). Tanto no anime como no mangá, o Ichijou (neto) pede para matar o Ichijou (avô), poie ele alega que esse é seu dever.

  No mangá Zero bebe o sangue de Kaname uma vez. No anime são duas (safadjeenhooo).

  O Mangá tem mais beijos que o anime…. Na verdade só tem UM beijo no anime… bluuuuu.

  No mangá é citado que, como Rido era apaixonado por Juuri, e Yuuki se parece MUUUITO com Juuri, ele ao invés de devorá-la, tenta torná-la dele. (O Rido além de ruim pra dedéu é extremamente pervertido. Psicopata!)

  No momento de transição entre as duas temporadas do anime ocorrem umas diferenças meio esquisitas. No anime, Yuuki para de falar com Kaname por ele ter não ter negado que Zero assassinou Shizuka, e Zero é acorrentado em um calabouço (tadiinhoo!!). Já no mangá, Yuuki para de falar com Kaname após ele ter acusado Zero de ser suspeito de atacar uma garota do Day Class.

 

  Essas são as que eu lembrei…talvez eu tenha perdido algum detalhe….

  Então, para ter certeza eu procurei pela net para ver se alguém tinha uma lista mais completa. Eu achei uma lista bem interessante neste blog: http://4night.blogspot.com/2009/06/review-anime-vampire-knight.html. 90% da lista desse blog bateu com a minha, o que me deixou bastante tranquila. Mas eu citei o link aqui como uma referência para quem se interessa bastante por Vampire Knight. Lá tem que a Maria é capaz de controlar um gato… Eu não lembrava dessa… Hehe

 

XOXO²

Mallu²

 

 

 

   

 

 

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 39 outros seguidores